Ensaio quebrado...

[Luís]


"Professora, a vida é encadeada?"

Andamos, pelo palco escolar, à volta do texto narrativo. Mais do que depositar conceitos de teoria literária, nos meus lindinhos, gosto que reflictam sobre os textos, que reconheçam o efeito e o poder das palavras, que deduzam sentidos, que desfaçam ambiguidades, que recriem imagens a partir do que lêem. No entanto, a teoria é dada e, sempre que possível, posta ao serviço de uma boa troca de ideias.

Ora, na última aula, trabalhávamos um texto de José Rodrigues Miguéis e, a propósito da organização da narrativa, o meu lindinho lançou, num imenso sorriso, a pergunta. Sorri, também. Gosto que os meus alunos coloquem perguntas pertinentes. E ensaiei a resposta...

Em segundos, a imagem de uma corrente consistente ocupou a minha mente. Cada aro, um momento de vida, unido a um outro, numa sequência difícil de interromper. Laços de metal, quase inquebráveis... quase! Porque, por vezes, dava vontade de partir o grilhão, retirar os elos que enferrujaram e tornar a compor, como se nunca tivesse sido interrompido. Vontade, apenas. Impossível, tão-somente. A vida é encadeada, como a estrutura do conto em análise. Narrativa aberta, na ânsia de que um novo elemento da corrente faça esquecer os que 'enfeiam' o cordão. Breves segundos, para calar os meus pensamentos e devolver a pergunta à turma.

Assim, passámos o resto da aula, discorrendo sobre a vida e os momentos que cada um gostaria de retirar da sua corrente.

Longe dos propósitos de um Ministério burocrático, para quem seria difícil perceber o não cumprimento de um plano de aula. A minha.

31 comentários:

Anónimo disse...

Retirando vida, momentos, à corrente, ela enfraquece. Que bonita deve ter sido a sua aula e, reforçando, com o José Rodrigues Miguéis por perto.
Diga ao seu "lindinho" que a vida é encadeada, mas há sempre a possibilidade de juntar anéis e anelos.

J

Marta disse...

Mas é isso mesmo - as pessoas a pensarem, a criarem essa corrente de ideias....
Sem imposições....
Ler-se o que a palavra esconde....
Obrigada pela visita....
Beijos e abraços
Marta

AFRICA EM POESIA disse...

GRAÇA
"Longe dos propósitos de um Ministério burocrático, para quem seria difícil perceber o não cumprimento de um plano de aula. A minha."

Tudo dito...

um beijo


2ª feira depois das 2horas vou estar na praça das flores edificio Fontanário casa lusoafricana. tenho lá a minha exposição de pintura Africana.

Espero-te... (perto da Igreja do Bonfim...)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

A pergunta é divina. Faz lembrar a cena da métrica no Clube dos Poetas Mortos. E tu és divina. Fazes lembrar o Mr. Keating que, fora das métrica e da rima, ousor ensinar a vida.

Parabéns por essa aula.

Beijinho

. intemporal . disse...

.

.

. graça,,, .

.

. não te sabia de.volta . lembro.me a.penas e só de um dia ter encontrado esta porta fechada . sem rasto . nem rosto .

.

. é com imensa alegria que re.volto hoje aqui . a este lugar onde pernoito há alguns anos .

.

. um bom.domingo .

.

. e o teu beijo de sempre . o de todos os dias .

.

.

Sofá Amarelo disse...

Tão bom os momentos nas aulas em que professor e alunos conseguem distanciar-se da matéria rotineira e imposta e conversar sobre os "encadeamentos" do dia-a-dia. Saudades do tempo em que os professores podiam dar-se a esse "luxo"! Agora parece que todos os segundos estão contados, não pode haver um desvio de um milímetro e há sempre um avaliador a espreitar à porta da burocracia...

Graça disse...

Há sempre essa possibilidade, sim, J.
Obrigada, pela presença.

Graça disse...

Tenta-se, Marta, tenta-se e é uma alegria, quando se consegue.

Beijinho

Graça disse...

Lili, querida, sei que me entendes... e que pena só agora ver esta tua mensagem. A segunda-feira passou e eu não estive contigo :(.

Beijo de carinho.

Graça disse...

Sabes, Daniel, que é um dos meus filmes? O melhor que o ensino tem é mesmo poder cortar as peias de todo o sistema. Beijo de carinho.

Graça disse...

Paulo, querido Paulo... andei 'perdida', mas agora estou a voltar aos poucos. Obrigada, por estares sempre comigo... há anos, sim!


O teu beijo de todas as noites.

Graça disse...

Não receio avaliadores, Alexandre. A minha porta está sempre aberta :).

Beijo de saudades.

Vivian disse...

Mulher que sonha.
Mulher que trabalha.
Mulher que luta.

Mulher mãe.
Mulher filha.
Mulher que manda
e que ama.

Mulher de erros e acertos.
Mulher de atitudes.

Mulher de palavras doces
Mulher decidida.

São tantas qualidades para
tentar definir esta criatura
abençoada por Deus, e que,
por vezes nos perdemos
em palavras.

Você, mulher, faz parte
disso, representando com
doçura e determinação um
universo totalmente
desconhecido, que a
cada dia revela-se
ainda mais misterioso
e, portanto,
apaixonante.

Parabéns MULHER,
pelo nosso dia!

Beijos, linda mulher!

Saudades, querida!

BRANCAMAR disse...

Um ensaio notável, como sempre, Graça, que já te tinha lido por estes dias sem comentar.
Voltei e voltei a deliciar-me com os encadeamentos da vida, mas também me deliciei particularmente com o último parágrafo, bonito, contundente. É que tive alguns professores como tu e foram eles que me formaram para a vida, sem cumprimentos fundamentalistas, apesar de exigentes e hoje o resultado tem-se mostrado óptimo, quer para mim, quer para os meus colegas.

Obrigada Graça, formadora de gerações futuras.

Beijinhos
Branca

. intemporal . disse...

.

.

. no dia internacional da Mulher .

.

. deixo flores .

.

. muitas flores .

.

. todas as flores .

.

.

. e um terno e e.terno bem.haja .

.

. paulo .

.

.

Sonhadora disse...

Minha querida

Passando para desejar um FELIZ DIA DA MULHER, e deixar um beijinho.

Sonhadora

Graça disse...

Obrigada, querida Vivian... adorei ver-te por aqui. Beijo de saudade. Quando os meus dias melhorarem, vou visitar-te.

Graça disse...

Branca, minha querida Branca... todo o meu carinho e obrigada, tanto, por estares sempre comigo.

Beijo meu.

Graça disse...

Paulo, um sorriso florido, hoje, todos os dias!

O teu beijo de boa noite.

Graça disse...

Beijinho, Sonhadora. Obrigada.

Adolfo Payés disse...

Ante la majestuosa pulcritud de tu presencia

Confieso que soy el cielo
El sol,
Las nubes amamantando el tiempo

Confieso que las estrellas
Las dibuje con mis sueños
Iluminando el firmamento de mis sentimientos

Que tus cabellos
Los acaricie palpitando mis deseos,
Y que tu cuerpo
Lo transite coloreando mis pasiones
Elocuentes del que ama

Confieso que no soy nada
Ni nadie en este mundo
Ante la majestuosa pulcritud de tu presencia
Mujer,
No soy el que confisca tus besos
Ni el que marchita tu alma
En añicos de penas,
Soy,
El que respeta tu nombre
Pintado
En el firmamento beso del te quiero

Confieso
Que soy
El que emancipa la palabra
Convirtiéndola en caricia mutilada de ternura,
Mujer
Eres
Luz
Embarazo creador de lo eterno
De lo infinito
Mezclado con el esperma
Quietud erótica de mi cuerpo
Ante la belleza emblemática de tu movimiento
Vida

Adolfo Payés.


Con todo mi respeto y admiración ara la Mujer en estas fechas y el mes de Marzo..


Un abrazo
Saludos fraternos...

Graça disse...

Lindo poema, Adolfo! Obrigada.

Beijo meu.

sideny disse...

Olá Graça

Bem vinda, e obrigada:))

beijinhos

Vieira Calado disse...

Tantas vezes os professores

têm muito melhores planos que as múmias

do Ministério...

Beijinho

Graça disse...

Sideny, muito bom ver-te aqui. Beijinhos e bom resto de semana.

Graça disse...

São múmias, sim, querido Poeta.

Beijinho e até...

Mel de Carvalho disse...

Gracinha,
existe uma pequena história, que não sendo minha, uso em contexto de formação/aula... aqui vai:
"se eu te der um euro e tu me deres outro euro, cada um de nós ficaremos com um euro...
se eu te der uma ideia e tu uma ideia me deres, cada um de nós, ao final, ficaremos com duas ideias..."
a partilha das ideias, é, na verdade, aquilo que, encadeado, nos torna maiores. nos acrescenta.
Lê-l acrescenta-me.

Gratidão e que, no palco da vida, seja o elo condutor de uma cadeia profícua, querida Gracinha.

Beijo com carinho
Mel

Pensador disse...

Graça,

Com certeza, a discussão que você teve com seus alunos foi infinitamente mais enriquecedora para eles do que discutir apenas a questão técnica do texto.

Desde os meus tempos de estudante, esta é uma tendência que eu observo, e da qual discordo: os programas oficiais prendem-se a aspectos técnicos, a enfoques mnemônicos, sem ter o que considero a mais importante das preocupações: a reflexão, sair do enfoque puramente técnico do “o que é” para o enfoque mais subjetivo e questionador do “por que é”, “como poderia ser”.

O problema é que aprender a pensar é doloroso. E pessoas que pensam tem o péssimo hábito de questionar, e isto incomoda os poderosos de plantão.

Seu trabalho é maravilhoso. Muito mais que uma “informadora”, você é uma “formadora”. E isto faz toda a diferença!

Beijos!

Paulo disse...

O Ministério está mumificado, minha querida. Cumprir um plano de vida é muito mais importante do que cumprir um plano de aula. Quem o cumprir, cheio de floreios e cabeças vazias terá a cruz, no seu «excelente». Não há cruz para ti, teria de ser «sublime» :-).

Beijo magnífico duplicado.

PJB

Graça disse...

Penso que me entendes muito bem, meu amigo do lado de lá do Oceano. Gosto, sim, de incutir nos meus lindinhos esse acto tão simples e proveitoso que é reflectir... pensar sobre, ter opinião, enfim, lutar contra esses depósitos mnemónicos em que o sistema os quer transformar. Vou tentando abrir horizontes, apenas.

Beijo imenso de carinho.

Graça disse...

Paulinho, 'sublime' seria uma hipérbole, não almejo uma cruz excelente, apenas o reconhecimento dos meus alunos, que tenho, felizmente.

Beijinho