Hoje, como ontem...

[foto de GMV]

Quero poder acreditar que és livre, Liberdade... hoje, como ontem.

Crer que, todos os dias, cortas amarras à submissão das cores. Que és autónoma das razões floridas.

Imaginar-te, Liberdade, alimento dos sonhos de ser... [longe de ementas programadas para um dia no ano].

Confiar que voas, eternamente voas, negando rastejar às vontades políticas.

Ontem, como hoje, tenho-te em mim. Não te guardo. Porque és livre. Só te peço, Liberdade, que me deixes caminhar ao teu lado.


20 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Acho que temos um "espaço" nosso que é a nossa liberdade. E quanto mais nos desvencilhamos das amarras de nós mesmos, esse "espaço" vai aumentando. Por exemplo, conforme eu ia aprendendo línguas, eu me sentia cada vez mais livre por ler os livros no original, era a liberdade conquistada nesse campo. E ela pode ser conquistada em todos os campos.
Querida Graça, estou de volta, os meus Blogs voltaram para o lugar, e o Galeria tem post novo, pois está participando da Blogagem Coletiva- O Filme da Minha Vida, e como não estarei aqui nos dias da postagem, eu a publiquei hoje.
Um beijo e obrigada por sempre comentar os meus posts e por se preocupar comigo.
Um beijo, amiga,
Renata

ângela marques disse...

tanto ainda para andar, tantos equívocos...

que cada um saiba honrar a sua liberdade.

beijo

Paola disse...

Não sei, amiga, exactamente o que é a liberdade... nem quem a condiciona... nem que peias me enfiam na cabeça que me impedem de ver as cores todas do arco-íris...porque sei que a minha liberdade está condicionada... Não sei!Oiço dizer que era coisa enixistente e era... porque eu estava lá...que é a origem de tudo... pois é! A conotação com cores... com datas marcadas... está nas pessoas que a tendem a esquecer por terem a barriga farta... com outras que mais não querem... Tenho pena que assim seja, mas se for precisa uma data para lembrar Abril... que seja! Eu lembro-me sempre... porque foi o mês que me pariu na total liberdade que me fez... o resto só chegou muitos anos depois... e agora é o que se vê...

beijo abraçado

Paulo - Intemporal disse...

_________________________________

porque ser livre é ser[-me] aqui.
_________________________________

regresso após regresso.

no retorno da re.volta que garante
o dia que passa.
_________________________________

íssimo, pois sim, beij.íssimo meu.

Paulo disse...

Lembrei-me que já várias vezes disseste, aqui, que não gostas de dias convencionados. Devo ler assim este teu ensaio? A Liberdade não pode ter dias, porque está em cada um de nós. Adoro estas tuas reflexões.

Bom domingo, querida

Bjos do teu Paulo

f@ disse...

Olá Graça,

Única forma de ser pleno…
aberto ás cores do mundo que se alteram, se espalham e misturam originando aguarelas de mil cores…
tem que haver vento e asas…

Beijinhos

Jorge Vieira Cardoso disse...

que as intempéries da fragilidade nos acosse de entusiasmo, para que as deixas de quem nada deixou sejam a alavanca de um povo cravado de espinhos com promessas de rosas por acontecer.

que Abril sobreviva e o archote de um memorando politico com mentes hábeis em desvio e braços inertes asfixio... morra!

repeti este comentário porque cada vez me convenço mais da reciprocidade dos actos, agradecendo todas as palavras recebidas que me dão a liberdade de desenhar para os amigos, nesse rol incluo-te como aureola de som amigo que me chega sempre nos teus comentários enaltecedores!
Beijo terno...

preto [e] branco disse...

Ter Liberdade é saber respeitar o que é Natural e respeitar o espaço que nos é dado para sermos "Nós". Ter Liberdade é sentir a responsabilidade dos nossos actos.
"Voar...Voar" e sentir a dimensão das nossas "Asas".
A enorme, no seu vislumbrar, foto, expressa bem o "Brilho" de um sentir Liberdade.

bj...nho

Nilson Barcelli disse...

A nossa liberdade acaba quando começa a do outro. A menos que as duas andem de mão dada... ou que a ditadura seja a liberdade do outro...
Quase nunca se é livre a 100% mas, em liberdade, podemos ser mais livres se entendermos e aceitarmos os limites dessa liberdade.
Querida amiga, uma semana boa para ti.
Beijos.

Régis Castro disse...

"Quero apenas ser livre, liberdade"...

és linda e introspecta minha querida Graça...

Agradeço, porque sempre tens maravilhosas maravilhosas palvras que me abrem os olhos para o maravilhoso mundo que me cerca...


Agradeço por tudo... apesar da longa distância de um oceano...

Adoro-te... meu beijo de todas as noites... (sempre).

o que me vier à real gana disse...

Graça, sou de facto um notívago do caraças. Verdade! Tal, porém, não me consome o discernimento. Considero os teus ensaios sobre as aulas que vendes baratas, relatórios tão pertinente utilidade que deveriam ser publicados... sem necessidade de qualquer edição. Estão perfeitos! Faria bem, a ministra Lurdes, em, de quando em quando,dar uma voltinha por estes mares a ver como pescam os seus súbditos. Por certo que se surpreenderia!

Quanto ao post d'hoje, conta com a minha companhia!

bj

isabel mendes ferreira disse...

como ontem.

como amanhã espera-se.


o vento a levantar os "montes".

a ser montanha.entranha da Liberdade.


o meu beijo. como brisa.

Vieira Calado disse...

O Homem nasce livre e assim deve permanecer a vida inteira!

Beijinho deste amigo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça:
Não me abandone. Já publiquei o início do cap. 3 do Morro, que é a melhor parte do livro, há poemas no Femina, postagem no Tristão e agora faço parte de um Blog Coletivo: Amigos na Blogsfera, mas o poema meu lá publicado, vc já o leu. Vou fechar 5 Blogs e ficar com 5 que me dão menos trabalho.
Beijinhos,

Brancamar disse...

Gostei muito Graça e percebo bem porquê esta refexão a 26, de repente desatamos todos a falar do 25 e banalizámo-lo,sobretudo porque as fórmulas se repetem, pela mesma razão não fiz um post nesse dia, embora me tenha comovido com alguns poemas de um amigo, autor de "Todo Mundo é um palco", "Arca da Ternura" e "O Eco do silêncio", que partiu definitivamente em Outubro e com um vídeo publicado por sua filha, também professora como ele e autora de "Poética da Luz", porque me falam de dias que vivi há muitos anos, mas tenho muito presentes e só quem os viveu percebe essa emoção, mesmo que Abril ainda não se tenha cumprido definitivamente, nem se cumprirá, porque nada é perfeito, mas só percebe que já tudo é diferente, apesar de difícil, quando se teve que falar às escondidas, quando se viveu num mundo que tinha poucos desempregados, mas não tinha sibsídios de desemprego, nem de Natal, nem 13º mês, nem subsídioo de férias e nem férias e só existiam uns prémios para uma rara minoria e todos os outros ganhavam tão mal! A mortaliddae infantil era enorme, a pobreza quando existia era mesmo miserável e vivia mesmo da mendicidade; na escola os contrastes sociais eram gritantes e as crianças pobres muitas vezes humilhadas.
Apesar de tudo, hoje, temos a liberdade e a responsabilidade de não nos acomodarmos em reclamações a partir do sofá, temos o poder de fazer algo para não deixar o retrocesso progredir.
Deixo-te beijinhos.
Branca

BANDEIRAS disse...

Olá,
Gostei do que li por aqui. Tuas poesias são leves como uma pluma ao vento.

Bjs

Whispers disse...

Ola!
liberdade eh o melhor que temos.
Ser livre de corpo e alma
Mas por vezes o preco da liberdade eh bem alto

beijinhos mil
Rachel

lili laranjo disse...

GRAÇA

Eu vim dar um beijo.

O tempo tem sido pouco.

Esta etapa está ser dificil mas...preciso dos amigos

com calma venho deixar poesia.
agora deixo só o meu carinho.

E sei que Deus anda por aqui...ao meu lado!...

um beijo

Paulo disse...

Então? Nada de novo? Já tenho saudades.

Bjo, querida Graça

PJB

lupussignatus disse...

dissipar

a

névoa