Silêncio...

[Joaquim Cardoso Dias]



É de silêncios que se preenche o vazio do palco. De silêncios que resguardam toda uma imensidão de palavras. São palavras por dizer, são palavras que anseiam existir, são palavras que renascem a cada intervalo. É de silêncios que se compõe o abrir do pano. Só o silêncio cumpre o entardecer da encenadora...

18 comentários:

BRANCAMAR disse...

Querida Graça,

Bem vinda neste pôr do sol tão belo e nestes silêncios tão preenchidos de tudo...

Beijos
Branca

Carlos Gonçalves disse...

Graça, saúdo o teu regresso, nas saudades de ti!
Estranho... os teus silêncios dizem-me tantas coisas!
Beijo.
Carlos

JORDAS disse...

Um palco nunca está vazio. Ele é a voz de tantas personagens e o silêncio de tantos actores que sinfonicamente encenam a ral da vida.
Um palco é a deserta estendida na bruma do mar!
Adorei as imagens.

Mar Arável disse...

Bem-vinda

Bjs tantos

Nilson Barcelli disse...

Ainda bem que voltaste...
O teu silêncio já tresandava a saudade...
Querida Graça, boa semana.
Beijos.

mundo azul disse...

_________________________________


...o silêncio que prenuncia a criação! É do silêncio que nascem todas as idéias...

Beijos de luz e o meu carinho, Graça!!!

______________________________

AC disse...

"É de silêncios que se preenche o vazio do palco."
Tal como na vida.
Ainda bem que veio.

beijo :)

. intemporal . disse...

.

. é em ti . que me re.começo .

.

. e sonho[.te] a [des.]governo do silêncio presente .

.

. bem.regressada, querida graça .

.

. o teu beijo .

.

Canto da Boca disse...

Eis que o palco do Teatrices se enche de "silencio e luz"!

Abram as cortinas, a Graça voltou! O Teatrices volta a nos apresentar outra vez, espetáculos!

Beijinhos e seja bem-vinda de volta!

;)

Maria disse...

É aqui que (também) respiro.
Bem vinda!

Beijo, Graça.

E G Miranda disse...

Bem vinda, Graça, neste e em todos os silêncios. Cheguei agora, mas não abandonarei mais este teu espaço. Não o abandones, de novo, também. Bjs.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Em silêncio, eu chego, contemplo muita coisa já vista, nem tudo ouvido, e saio.
Bom regresso.
Beijo
Renata

Lídia Borges disse...

Dá asas a essas palavras que querem existir. Sabes fazê-lo tão bem...

Bem-vinda, Graça!!!!

Um beijo

Sofá Amarelo disse...

É de palcos vazios que os silêncios se enchem de sons e de palavras vazias que se enche o abrir do pano...

Carmo disse...

É em silêncio que aguardo o seu regresso, sempre que se ausenta, Graça.

Tenha uma boa semana

Olívia Comparato disse...

Fico feliz por estarmos juntas. Adorei o seu blog!
bjs

Pensador disse...

O silêncio é o contraponto das palavras, e tão necessário quanto elas.
No silêncio se desenrolam as cenas mais dramáticas.
Em silêncio fazem suas piadas os melhores humoristas.
O silêncio incomoda a plateia. Porque é no silêncio que se pode pensar. E compreender o sentido da peça.
Ou a falta de sentido da vida...
Beijo!

lupuscanissignatus disse...

a sagração

de um[a]

po[e]nte



[é óptimo
re.ler-te :]