[Intermédio]

[Graça]

Por vezes, a encenadora sente que o enredo dos dias reclama novos ensaios, outro palco, actores sem máscara. Por vezes, a encenadora resiste à vontade de fechar o teatro, cancelar a peça e calar o ponto.

Por vezes, a encenadora pinta-se de verde natural e tudo é mais simples.

24 comentários:

AC disse...

A encenadora, felizmente, também é humana, e por vezes tem a tentação de tudo pôr em causa...
E não é assim que se caminha?

Beijo :)

Lídia Borges disse...

Que bonita essa pintura! Tem a frescura e a claridade de uma aurora a florescer.

Beijo

rosa-branca disse...

Querida Graça, deixaste-me com nó na garganta... também a minha Deusa BRANCA partiu mas não em Agosto. Partiu em Dezembro no dia da mãe e ás 18 e 30 horas(ponteiros juntos) quando afinal nós nos tinhamos acabado de nos separar. Perdura a saudade... Adorei amiga. Beijos com muito carinho

Adolfo Payés disse...

Un aleteo vuelo por tu espacio es maravilloso..

Que tengas un lindo día..

Un abrazo
Saludos fraternos....

. intemporal . disse...

.

. "por vezes, a en.cenadora" tem assim,,, digamos que, uns "vaipes" que, feliz.mente, não passam disso mesmo . ;) .

.

. por isso, por isto, está e estará sempre ir.remediavel.mente "proíbida" de fechar este palco, até porque, a arte do teatro, mesmo quando tão real como aqui se representa, remonta a um passado tão distante . a um presente tão presente .

.

. e ainda para mais, com o novo "avatar" . ;) . a dar mais do que vida própria, a própria vida, a este espaço sublime .

.

. és muito bonita, graça . :) .

.

. !!! toc toc toc . faça o favor de re.começar, até porque, de tanto e há tanto estamos todos à espera !!! .

.

. já nos dói o "fofinho" . :) . de estarmos aqui sentados nestas cadeiritas de pau sob um Sol tórrido e estonteante .

.

. !!! bem re.gressada, querida graça .

.

. o teu beijo terno de hoje, desta noite, o primeiro desta nova etapa e que se quer sempre e para sempre, todos os dias desta nossa passagem por este planeta há tanto doente que nos vai ainda hospedando .

.

. paulo .

.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo! Quem faz do seu Tempo reflexão sobre si e o mundo que a cerca, mas sem apertar o gatilho, merece Paz e muito Amor nesta Vida. Belo ensaio! Às vezes, um intermédio é preciso.
Beijos, Graça.

"Olhas o amanhecer,
vives o amanhecer como o único instante
em que o céu é entreaberto segredo de um deus mudo.

Espera: algo vai se revelar e deves estar pronto
para mergulhar teu sonho num poço de luz casta.

O intocado te espera. E amanhece. E te iluminas
como se trincasses com os dentes a polpa do absoluto.

Alphonsus de Guimaraens Filho"

Bom Dia, minha amiga!
Até mais++++
Renata
Jamais me esqueceria de você!!!

MCampos disse...

Por vezes, é assim, Graça, resiste-se, porque há esperança que os dias se pintem de verde. O ensaio à sua Deusa emocionou-me tanto. A sua capacidade de colocar em palavras os seus sentimentos é espantosa.

Um abraço, querida amiga.

(Obrigada pela sua preocupação. Estive ausente, por vezes faz falta, mas resiste-se!)

Nilson Barcelli disse...

Pinta tudo de verde...
E de vez em quando muda a cor.
Querida Graça, bom resto de semana.
Um beijo.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Graçamiga (???)

Aconselho vivamente a visita à Minha Travessa, por via de referência à proprietária deste blogue Teatrices. Teatrices...

Melhores cumprimentos

Graça disse...

Isso é que eu fico bem, lá na sua Travessa :).

Cumprimentos, caríssimo Henrique.

BRANCAMAR disse...

Olá Graça,

Em plena sintonia andava eu a chegar por aqui quando passaste por lá e só não vim mais cedo por causa de um contratempo no meu acampamento,:)

Já há muito que pretendo comentar o teu post anterior, por mail, uma vez que só o podia fazer por essa via, porque me é particularmente grato, sabendo como sabe toda a gente da minha especial ligação à avó materna, sabendo como são sempre a nossa força e o nosso esteio, mas o tempo foi passando entre forças quebradas e alguns trabalhos e tu chegaste e ainda bem que chegaste. Fazias falta e eu tinha saudades.

E gosto de te ver regressar neste verde natural.
Beijos de carinho.
Branca

Mar Arável disse...

Por vezes é assim

sem máscaras mas pintados

ao natural

Bj

lili laranjo disse...

Graça

e eu tambem
senti a tua falta amiga
Um beijo


E o Verde é uma cor...mágica.

Pensador disse...

Desejo que a encenadora tenha tido um bom descanso.
E não deixe de nos mimar com novos ensaios, novas peças, novos enredos.
Um grande beijo, meu e da Loba!

Marta disse...

O verde enche-nos de esperança e é recomeço....
Aguardo esse recomeço...com verde ou qualquer outra cor....
Beijos, Graça...
Beijos e abraços
Marta

. intemporal . disse...

.

. re.volto,,, para te desejar um bom.fim.de.semana .

.

. e deixo.te o teu beijo de hoje, o de sempre, na ante.visão de todos os dias .

.

ParadoXos disse...

Novos e diferentes voos trazem novas inspirações... já falta pouco... já falta pouco!

beijão cada vez mais nosso estimada Graça

Maria disse...

Apenas quero dizer que te leio, há muito tempo.
Necessárias são-me as tuas palavras, pintadas de verde ou de qualquer outra cor.
Obrigada.

José Carlos Brandão disse...

O verde sempre é necessário, Graça.
Não é preciso nos esquecermos do cinza do ramerrão cotidiano... O verde é necessário para abrirmos os olhos e enxergarmos as outras cores todas.
Beijos.

Ana disse...

Que o verde se faça poema e a encenadora regresse em breve para novos ensaios.
Nunca feches o teatro, Graça!
Um beijo para ti *

Carmo disse...

E se a encenadora tomasse conta do palco e representasse?
Beijinhos
Boa semana

A.S. disse...

Querida Graça,

Tal vomo na vida real, a encenadora confronta-se com uma permanente e decisiva tomada de opções! Muitas vezes a solução mais simples é um refúgio para as suas indecisões!

O meu beijo!
AL

. intemporal . disse...

.

. graça,,, .

. uma boa semana . ampla e lassa .

. com o tempo todo o des.tempo passa .

.

. o teu beijo terno de hoje .

.

. paulo .

.

Sofá Amarelo disse...

Há que procurar actores sem máscara porque esses sim são os verdadeiros actores de vidas reais, onde o enredo dos dias se pintam de verde natural...