13 de Junho de 1888...

[Luís]

Tacteia-se o aroma a manjerico; saboreia-se o cantar desafinado da marcha popular; e ouve-se, toda a noite, o apetite voraz da sardinha assada. Dia de Santo António?

Dia do meu Poeta. Sempre.


Passam na rua os cortejos
Das pessoas existentes.
Algumas vão ter ensejos,
Outras vão mudar de fato,
E outras são inteligentes.

Não conheço ali ninguém.
Nem a mim eu me conheço.
Olho-os sem nenhum desdém.
Também vou mudar de fato.
Também vivo e também esqueço.

Passam na rua comigo,
E eu e eles somos nós.
Todos temos um abrigo,
Todos mudamos de fato,
Ai, mas somos nus a sós.

[Fernando Pessoa]

27 comentários:

Ana disse...

Impossível comentar Fernando Pessoa!
Digo apenas obrigada, Graça, por este poema que não conhecia!

Rabisco disse...

Olá Graça!
Que excelente escolha fizeste...Fernando Pessoa!

Beijinhos

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Olá Gracinha...

1º - Gostei da musiquinha do teu blog, muito envolvente.

2º Sobre FP havia muito a dizer, revejo-me em muita coisa que ele escreveu.

3º Claro que não fiquei no "covil das feras", desculpa o palavrão no mail, mas como calculas, foram fotos (tipo minuta) para alguns/as portistas que diziam que eu não fazia aquilo, mas td gente boa. (claro que aproveitei e enviei tb p'ra gente especial, NÓS O UNIVERSO BENFIQUISTA, rs)

Bjosss e tudo bom p'ra ti

Paulo disse...

Nem seria de esperar outra coisa de ti, a homenagem ao poeta, no dia do seu nascimento. Gosto deste poema que escolheste, pela verdade subentendida, ou dita claramente. Só somos verdadeiros, quando nos recolhemos na nossa solidão.

Minha querida, um beijo magnífico, agora nos teus dias mais descansados, espero (como os meus).

. intemporal . disse...

.

. há quem foi em Si,,, todos os dias num só dia .

.

. por ora, pudéssemos ser .

.

Amordemadrugada disse...

Graça! porque andas assim desaparecida de mim?!
Quero-te bem, querida1
Tem uma boi noite, tá?
besito
;)

Canto da Boca disse...

A sós é que somos nós. Pessoa sempre a desvendar um pouco a alma humana!

Beijinhos, carinho e desejo para uma ótima segunda-feira, Graça!

;)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Maravilhoso! 13/06/2010 *dia de sós e nus* pessoano*
Beijos, Graça, querida!
Hoje é dia D*
Renata

MEU DOCE AMOR disse...

Somos todos um,temos todos um abrigo(o mesmo)mudamos de fato,pois morremos,mas a essência é a mesma (só se muda o fato)e regressamos...Sem sermos unos,pairamos na solidão...

Assim era Pessoa...e é...infinito...8

Beijinho doce esperando por ti:)

MCampos disse...

É impossível comentar Pessoa, como alguém disse por aqui. Gosta-se ou não. Eu gosto, como sabe, e este poema diz-me tanto.

Um abraço e boa semana.

Zélia Guardiano disse...

Graça querida

Postaste Fernando Pessoa. Pronto: Fernando Pessoa!
Para que outras palavras?

Beijinhos

lililaranjo disse...

Graça
a a minha sessão de autógrafos é ás 7 horas mas penso estar por lá a partir das 5horas
..
Adorava estar contigo...


beijos

Nilson Barcelli disse...

A profundidade que o Poeta tem neste poema (como em todos), apesar do tema ser muito comum.
Querida Graça, boa semana.
Beijos.

Vieira Calado disse...

Muitas vezes somos nus a sós...

Beijocas

© Piedade Araújo Sol disse...

uma belissima escolha.

um beij

Whispers disse...

Minha querida,
Saudades de te ler...tenho andado meia sumida, coisas da correria da vida,ou corremos com ela''vida'' ou a deixamos passar sem dar conta.

Mil beijos
Rachel

lupussignatus disse...

ser

Pessoa


é sermos

nós


[é desatar
o f[r]io
da solidão]



*beijo*

segredos disse...

"Ai, mas somos nus a sós".

Nem sempre, mas a maior parte das vezes somos.

Fernando Pessoa e o seu saber.
Sabes que o adoro?
Tanta verdade...

bj...nho

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gracinhamiga

Então como vai Voça Inçulemssia?

Desde o Neolítico inferior que não mereço uma linha de cumentário, com o. Mulher ingrata, volúvel e faltosa; enfim, mulheres... e setôras...

Mesmo assim, qjs

José Carlos Brandão disse...

"... somos todos nus a sós."
Fernando Pessoa era um gigante. É preciso sempre voltar a ele.

Um beijo com carinho, minha amiga Graça.

São disse...

Muito boa escolha: poema, música e as tuas próprias palavras.

Saudades, Gracinha.

Brancamar disse...

Querida Graça,

A lucidez de Fernando Pessoa, sempre!
Um grande beijinho para ti.
Branca

Menina Marota disse...

Eterno... Fernando Pessoa.

Bjo

M. disse...

Muito jeitoso este blogue. Que pena o autor não ser um cavalheiro!

Contudo, está V.Exa de parabéns!

Braulio Pereira disse...

olá Graça querida


teu olhar
é um vulcâo
faz saltitar
meu coraçâo

beijos....

A.S. disse...

Pessoa... incontornável, mesmo nos temas mais populares!

Mas eu gosto muito mais do S. João!!! Aliás acho que no mundo é algo de incomparável, não só em tradições mas sobretudo em termos sociais.

(Deixo-te algumas quadras minhas premiadas no Concurso do S. João do Porto):)))

Bailamos até ser dia
E assim amanhecemos
Éramos lenha que ardia
Na fogueira que fizemos

Vai longe, já não o vejo
Lá se foi o meu balão
Com ele vai o desejo
O sonho ficou no chão…

É semelhante ao balão
Quem passa a vida a sonhar;
Tendo o vento de feição
Não sabe onde vai parar

Ainda tens tal beleza
Depois de tanta orvalhada,
que´a braza inda está acesa
Por entre a cinza molhada

margusta disse...

E, que bem que escreve o Poeta.
Não conhecia este poema de Fernando Pessoa. Obrigada por o dares a conhecer.

Um beijo Querida Graça!