Ensaio pelo amanhecer...

[Luís]


[Quando as palavras da encenadora se rasgam num voo de ocasos...]

"Eu sei que o meu desespero não interessa a ninguém.
Cada um tem o seu, pessoal e intransmissível:
com ele se entretém
e se julga intangível.
Eu sei que a Humanidade é mais gente do que eu,
sei que o Mundo é maior do que o bairro onde habito,
que o respirar de um só, mesmo que seja o meu,
não pesa num total que tende para infinito.
Eu sei que as dimensões impiedosos da Vida
ignoram todo o homem, dissolvem-no, e, contudo,
nesta insignificância, gratuita e desvalida,
Universo sou eu, com nebulosas e tudo."

[António Gedeão]

24 comentários:

Vivian disse...

...eu também sei que o universo
é maior que todos os meus sonhos,
mas mesmo assim tento ancaixá-los
na rede onde formamos a trama
da vida em todos os sentidos.

Graça querida,
estava com saudades de tí,

delícia este teu palco
onde se encena o amor.

bjbjb

Marta disse...

Boa escolha...
Ás vezes, o desespero é comum...apenas o vivemos de forma diferente...
Beijos e abraços
Marta

Lídia Borges disse...

É de uma precisão admirável este poema porque nos atinge naquilo que nos custa aceitar - a nossa pequenez, a nossa insignificância. E, no entanto...


Fico à espera que as palavras da encenadora fluam livres num amanhecer próximo.

Um beijo

MEU DOCE AMOR disse...

Todos os deseperos importam...mas existem desesperos sem remédio,não?

Linda a música e esse amanhecer...

Beijinho doce e vem sonhar comigo
http://vemsonharcomigo.blogspot.com/

Doroni Hilgenberg disse...

Ótimo texto
É bom ter conciencia e ser consciente de todas as coisas que nos rodeiam ( boas e más) pois só assim, teremos forças para superar nossas duvidas perante o mundo.
bjs

São disse...

É um dos poemas de que mais gosto de Gedeão, alás um dos meus poetas preferidos.

A foto está espectacular.

Um bom fim de semana, minha linda.

Brancamar disse...

Querida Graça,

E que bem que se rasgaram as tuas palavras neste voo...e neste ocaso...

Este poema é incomentável e tão actual, pleno de humanidade e gritante pela carência que encerra todo o indivíduo...tão belo como só António Gedeão sabe ser, de forma tão intensa e só sua.

O ocaso do Luís é muito bonito.

Beijos, os de sempre.
Branca

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Gosto muito de António Gedeão. Muito mais [quando as palavras da encenadora se rasgam num voo de ocasos]
O Universo és tu, Graça.

É fácil falar em fraternidade,
dizer que pratica a solidariedade,
esquecendo-se de que é disso
que depende o mundo,
para não cair mais fundo…
Desenvolver amor ao seu semelhante,
ajuda bastante,
mantendo sempre ativo
um espírito cooperativo…
Algo feito em cooperação,
sempre terá uma melhor solução…
Ajudando-se mutuamente,
problemas se resolverão facilmente…
Quando o ser humano,
finalmente aprender a ser humano,
e descobrir que os verdadeiros tesouros,
que tão insanamente procuram,
estão simplesmente em nosso interior,
e inteiramente a seu dispor,
poderão chegar à conclusão
que lhe aquietará o coração,
de que, aprendendo a cultivar a Solidariedade e a Fraternidade,
a Humanidade viverá com Humanidade,
e poderá conseguir uma certa Felicidade…
Amor ao próximo… Fraternidade… Solidariedade…
Palavras mágicas…
É preciso entendê-las e praticá-las

Amor ao Próximo, Fraternidade… Solidariedade…
Marcial Salaverry*

Beijossssssssssss
Até mais++++++++

Carmo disse...

Graça, belo texto de António Gedeão.
É o sentir-se só entre a multidão...
É a correia do mundo.
É o não haver tempo para ter tempo.

beijinhos

bom fim de semana

sideny disse...

Olá Graça

Venho deixar um beijinho.

E desejar um bom fim de semana.

Chris disse...

Um voo que a arte e o palco abraçam...
Um beijo, Graça

O Profeta disse...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

Sofá Amarelo disse...

Que melhor balada ao Por-do-Sol que a dádiva de "Les Uns et Les Autres", um dos três filmes da minha vida.

De António Gedeão, tais palavras poderiam ter sido escritas... ontem... ou hoje!

Ah, os outros dois filmes da minha vida - por ordem - são "Cinema Paraíso" (porque ainda apanhei um bocadinho dos cinemas paraísos aqui do meu sítio) e "Em Nome da Rosa" (porque devo ter vivido algures por essa Idade Média profunda que chegou até nós através de um ... Eco!

Muitos beijinhos. Bom Domingo!!!

f@ disse...

Olá Graça,

Bom Fim de semana

este poema do A G é tão especial quanto a música que escolheste....
...
!nfinito beijinho

Carlos Gonçalves disse...

Sem dúvida, querida, és a imagem do universo, nebulosa igualmente, és corpo, alma e sonhos! És tudo isso e também desespero, angústia, esperança, felicidade, paixão e amor, em resumo… és vida. Hoje, no palco, és significante estrela, o centro do mundo: amigos, aduladores, interesseiros, admiradores, apaixonados; amanhã, quando saíres de cena, és mais um insignificante número, restam-te os amigos fiéis, os sonhos, um amor…
Amanhecer, zénite e ocaso, um passo na vida.
Beijo, doce, Graça, querida.
Carlos

Paulo disse...

Bom Domingo, querida.

Gosto de António Gedeão, só não gosto que as tuas palavras se rasguem. Universo és tu, onde eu leio o teu sentir (triste?).

Minha querida Graça, um beijo terno e um abraço bem apertado.


PJB

Everson Russo disse...

Podemos até não ser tudo,,,mas somos parte importante do universo,,,tambem fazemos ele girar....um beijo de otima semana pra ti amiga.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Boa Noite, querida! E como passaste o dia?

*O amor é um grande laço,

um passo pr'uma armadilha

Um lobo correndo em círculos

pra alimentar a matilha

Comparo sua chegada

com a fuga de uma ilha:

Tanto engorda quanto mata

feito desgosto de filha

O amor é como um raio

galopando em desafio

Abre fendas cobre vales,

revolta as águas dos rios

Quem tentar seguir seu rastro

se perderá no caminho

Na pureza de um limão

ou na solidão do espinho

O amor e a agonia

cerraram fogo no espaço

Brigando horas a fio,

o cio vence o cansaço

E o coração de quem ama

fica faltando um pedaço

Que nem a lua minguando,

que nem o meu nos seus braços*

Jamais me esqueci/esqueço de ti
Beijos ***************
Na terceira tentativa!

rosa-branca disse...

OLÁ QUERIDA gRAÇA, NÓS SOMOS TUDO ISSO E MUITO MAIS, SÓ QUE POR VEZES NA NOSSA PROCURA, ACABAMOS POR NOS DESENCONTRAR, COM O QUE TANTO PROCURAMOS.lINDA ESCOLHA. BEIJO MEU COM MUITO CARINHO

MCampos disse...

Lindíssima a foto do Luís, a acompanhar as palavras de Gedeão, que resumem tão bem a dimensão de 'ser'.

Uma semana feliz, Graça, e um beijinho.

Pensador disse...

O todo pode ser mais que a simples soma das partes, a parede mais que um amontoado de tijolos.
Mas sem as partes, não há o todo.
Sem os tijolos, não há a parede.
Sem cada um de nós, por mais insignificantes que possamos ser, mesmo que haja o universo, ele não será a mesma coisa.

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Como tu dizes e muito bem, "O mundo inteiro é uma palco e todos os homens e m... são apenas actores".

Será que eu daria um bom actor? Pois amiga, para o bem e para o mal (rs), sim, acho que daria um bom actor, faceta que descobri há relativamente pouco tempo. A necessidade a quanto obrigas.

Bjoooo

Alis disse...

Olá Graça,

amanhecer sempre dourado...

beijinhos

lupussignatus disse...

o levante

do

Eu


[em partículas
de maresia]