Talvez aí [num intervalo]

[Luís]



Talvez um adereço diminuto de uma paisagem impenetrável...
movimentação que agita a cena de um labirinto perdido...
falas-deixas mudas, rendilhadas a verde esperança
personagem diáfana, tecida em hastes sombrias da floresta...

Talvez uma peça escrita na aragem de um poema...
palavras ávidas do que pareço...
enredo por encontrar, na percepção do musgo do poscénio.

Intervalo enraizado de agrestes sinestesias...

E só me reconheço...

[talvez]

31 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo! O seu Bom gosto me encanta, Graça.
Beijos, querida amiga.
Desculpa o atraso, mas hoje está difícil, mas não impossível. Estou de volta há pouco, mas estou.
************

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

BONS AMIGOS
Machado de Assis

Tenha uma boa tarde sempre!
+ beijos

MCampos disse...

A beleza desta foto, só é ultrapassada pelas cores sentidas das suas palavras. A Graça diz tanto de si, neste esconder da palavra. "palavras ávidas do que pareço", "aí" onde se encontra. Gostei muito, como gosto sempre que a leio, tem uma forma diferente de escrever que eu muito aprecio.

Um abraço e continuação de boa semana.

Amordemadrugada disse...

sinto te triste e um pouco cansadita querida...
estás bem?
beijito doce e boa noite

Com ou Sem conclusões disse...

Lindo! A raiva que tua parece estar se confunde com a foto.... Querer entrar e não conseguir. Ou conseguir entar e de lá não QUERER sair.

um bom lugar para deixar fluir os pensamentos...


bjo

Mar Arável disse...

Há sempre um palco

onde nos reconhecemos

Bj

Pensador disse...

Graça,

Reconheça-se nas palavras da personagem principal. Reconheça-se nos detalhes do cenário. Reconheça-se na música incidental e na iluminação de cena, capaz de alterar completamente o aspecto do que vemos no palco.
Reconheça-se em todos os detalhes.
Porque você é a autora e o que há de mais importante na peça de seu palco.
Um grande beijo!

Maria Valadas disse...

E eu reconheço-te no que escreves, quer em poesia, quer em cima de um palco.

Muito Bom... minha querida.

Boa semana,

Beijinhos

Lua disse...

Talvez...
Talvez o mundo dê uma cambalhota e as pessoas comecem a ser actores activos das suas peças de teatro ao invés de meros espectadores que se limitam a ver o decurso do rio...

Texto inspirador, parabéns.

Carlos Gonçalves disse...

O poeta é um ilusionista que esconde sentimentos e mostra apenas a fantasia das palavras. Por vezes consigo chegar ao espírito do artista, outras não. Neste texto, procuro o sentido, ler nas entrelinhas, interpretar as letras pinceladas em tinta branca, nada me diz, apenas a beleza da poesia. Assim, quedo-me como um espectador entusiasmado na presença de uma pintura linda, abstracta, fico maravilhado no encanto da obra, mas não consigo ler sensações, é assim como que um fascínio, no sentir que o malabarismo esconde o intimo do artista.
Um beijo [doce], em ti, querida Graça, na poesia das tuas palavras.
Carlos

segredos disse...

O teu cenário feito palavras no furor da poesia, acabam sempre por te revelar, enraizada no enredo, em palco, onde te reconheces... onde te reconheço.

bj

Nilson Barcelli disse...

O que escreveste, no meu ponto de vista, é um poema.
Dentro da "peça escrita na aragem de um poema..." que viveste, onde o teu eu lírico se reconhece...
Querida Graça, em qualquer caso é um excelente texto. Gostei imenso das tuas palavras.
Beijos.

Lídia Borges disse...

Um dialogismo singular entre as palavras e a imagem.
E... uma aragem sublime na qual nos reencontramos.

Gosto deste espaço quando, pela janela, vejo a luz acesa e as palavras em conversa, à roda do poema.

Um beijo

Brancamar disse...

Olá Gracinha,

A imagem é fantástica, parabéns ao Luís.
Do teu texto...bem o texto tem a tua alma, onde te reconheces, com um talvez final muito lúcido.

Gosto de pessoas lúcidas.

Beijinhos
Branca

Sofá Amarelo disse...

É nos intervalos que as coisas acontecem... quando o pano se fecha por momentos, quando a pausa toma conta dos sentidos... é nos intervalos que as palavras ganham formas de poema, pois, o intervalo é o ... recomeço!

Amordemadrugada disse...

bom fim de semana... love of my life...
beso em tua alma doce

f@ disse...

“[talvez]”


o movimento das palavras agite o silêncio dos ramos
o verde musgo e o arco-íris da seiva…
nos galhos finos e nos fios do coração onde pousam os pássaros para entoar o cântico das raízes…


“talvez”
nesse lugar onde os duendes pintam o céu e brincam com as folhas as borboletas deixem os Homens tocar as asas do vento…

O BELO da Foto e Texto

Beijinho

C@urosa disse...

Olá minha cara Graça, passei para uma visita e adorei seu blog, sensível e inteligente, espero poder voltar mais vezes.

Paz e harmonia,

forte abraço

C@urosa

Carmo disse...

Graça, ainda bem que voltou. A Graça não nos pode privar dos palcos da poesia

beijinhos

bom fim-de-semana

Gil Moura disse...

Querida Graça

Talves aí, num intervalo de um peça incompleta, encontremos um forte argumento, para um final feliz...

Beijinhos e bom fim de semana!

Gil

Marta disse...

Na calma que a foto inspira....
Na aragem que sacode as folhas dessa floresta.....o enredo esteja já escrito....
Talvez ainda não seja o momento de subir a cortina, mas saberás quando...Quando essas palavras falarem por si...
Obrigada pela visita, Graça
Beijos e abraços
Marta

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Passando p'ra desejar um bom f-d-s

Bjo minha linda, rs

São disse...

O texto é tocante, o que vindo de ti não surpreende.; a foto é muito linda.

Para ti, o meu carinho.

Zélia Guardiano disse...

Lindo o teu espaço, Graça!
Adorei! Parabéns!
Sigo-te.
Um abraço

Whispers disse...

Minha querida Graça,
Também eu ando meia sumida,coisas da vida, mas quando tenho um tempo gosto de vir ao teu palco, gosto de me sentar no fundo, na ultima cadeira, fico caladinha, assistindo as tuas palavras dançaremo na minha mente.

As tuas fotos São um espetaculo,parabéns

Que teu domingo seja de paz e amor
Mil beijos com carinho
Rachel

Paulo disse...

Talvez te (re)conheças, sempre que pintas os teus sentimentos deste verde natural, que habita em ti. Personagem diáfana é como te conheço há anos: transparente no dizer. A foto é simplesmente uma beleza! O Luís é sem dúvida o fotógrafo para a tua poesia :-).

O teu beijo magnífico, querida. Bom domingo.

Inês disse...

Aháaa liberou os comentários!
Adoro aqui.
Um beijo!

© Piedade Araújo Sol disse...

talvez seja num palco que encenamos a nossa melhor peça.

talvez esse palco seja o palco dos nossos sentires ou tao somente o nosso palco.

belo texto!

um beij

lili laranjo disse...

Graça

Lindo trabalho

Recebi o mail

Este fim de semana foi uma corrida .
Ontem fui ás instalações do Sporting
o Sporting é o máximo.

Fomos a todos os "cantinhos" da casa...

Academia e estádio.

o museu é algo que não sei definir... quero lá voltar o museu precisa de ser observado com mais calma...


beijos

deixo a minha poesia e um beijo

SORRISO


Sorriso lindo...
Sorriso belo...
É alegria dos grandes...
É o sorriso...
Dos meninos...
Que são netos...
É o sorriso...
Dos que seguem...
O seu caminho...
E têm o sorriso...
Mais lindo...
Do mundo!...

LILI LARANJO

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oi, Graça, estou num semi-retorno, ainda não estou boa, mas sou e estou.
Beijosssssss
Muito obrigada, querida, pela força.
***********


Ora ( direis ) ouvir estrelas!
Certo, perdeste o senso!
E eu vos direi, no entanto
Que, para ouví-las,
muitas vezes desperto
E abro as janelas, pálido de espanto

E conversamos toda a noite,
enquanto a Via-Láctea, como um pálio aberto,
Cintila.
E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas?
Que sentido tem o que dizem,
quando estão contigo? "

E eu vos direi:
"Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e e de entender estrelas!
Ouvir estrelas
Olavo Bilac

Renata

Nilson Barcelli disse...

Como não há novo ensaio, deixo-te "apenas" o meu desejo de uma semana boa para ti.
Querida Graça, um beijo.

A.S. disse...

Querida Graça,

As tuas palavras inconfundiveis revelam-te! Sempre nos encontraremos como personagens num palco onde a poesia nos exceda e nos fascine!

Beijo em ti Graça...
AL