Ensaio pelo amanhã.

[Luís]

Hoje, acordei com o poeta no pensamento. Acontece-me algumas vezes, quando os meus dias adormecem no cansaço da tristeza; quando a minha noite se resume ao sono agitado, feito batalha medieval, no duelo suado entre os cavaleiros da razão e do coração. Ou, então, quando as paredes brancas do meu quarto se pintam de insónia, e, nas sombras desenhadas, surge aquela antiga balança da mercearia da minha infância, com o seu fiel em oscilação desesperada, sem conseguir o equilíbrio pretendido na fidelidade dos dois pratos de cobre. Tenho raras noites assim. Mas tenho!

Hoje, acordei com o poeta no pensamento. Há muito que me acompanha, neste caminhar pelas palavras que serenam o meu sentir, que me obrigam a denotar pensamentos, que preenchem a lacuna do meu dizer. O meu Poeta. Fernando Pessoa.

Há pouco, ao chegar a este canto de mim, peguei num dos seus livros. Abri-o, como quem precisa de clarear o espírito... e li:

"Que coisa é essa que procuras dentro das coisas?
Qual o pensamento que o teu pensar não alcança?
Por que céu voam as poderosas asas do teu espírito?
A que altas visões lhe é doloroso estar cego?"

Interiorizei as perguntas. Procurei as respostas. Calei a tristeza. E senti-me pronta para iniciar mais uma peça. Amanhã, abrirei, de novo, o pano aos dias felizes.

25 comentários:

sideny disse...

Graça

Uma boa semana para si.

beijinhos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Graça, como vc consegue, me diz? Não consigo. Nem abrindo livro, nem fazendo poema, nem sendo musa, recebendo poema, quando não dá, simplesmente não dá. A tristeza me invade e fica. Foi o que me aconteceu. Noite terrível. Eterna. Depois do almoço, o assomo incontido do choro. Parecia a o fim, juro, pensei que ia morrer, tamanho o desespero. Mas estou aqui, com muita gente não gostando de mim. Céus, o que fiz eu?
Querida, vc é meu exemplo, pessoa que eu amo.
Beijos,
Renata Maria

Whispers disse...

Querida Graça!
Noites de insônia, eu já as tenho faz anos, vivo tal fantasma navegando nas asas do pensamento e quando dou conta o relógio marcou as horas e eu as vi passar sem pensar que talvez uma noite de bom sono me fazia bem ao corpo e alma.
Graça, como bem descreveste neste maravilhoso post o importante é saber caminhar,dar volta e no outro dia levantar o pano e abrir um novo teatro de vida,uns dias mais felizes outros mais tristes,só que no fundo é a peça que representamos.
Desejo que esta nova peça que vais iniciar seja das melhores da tua vida
Mil beijos com carinho
Rachel

Lídia Borges disse...

Há palavras que são lanternas na escuridão dos caminhos. E se essas lanternas são capazes de calar a tristeza, é preciso procurá-las sem cessar.

Fernando Pessoa... Adoro!

Beijos

Paulo disse...

Que saudades, querida! Mas regressas com os teus dias a adormecerem tristes? Faz breve a tua tristeza. Mostra-me o teu lindo sorriso, nessas palavras que bem sabes dizer. E claro que tinha de ser Pessoa!

Um beijo no teu coração. Sou como a Renata, também és pessoa que eu amo.

(adorei esta versão da boheme)

PJB

Brancamar disse...

Querida Graça,

Por vezes é necessária a inquietação para nos interrogarmos, como tão bem o faz Pessoa nesses seus versos. Só quando nos interrogamos chegamos, embora por vezes por caminhos dolorosos, às mais altas visões da tranquilidade...
Tem uma boa noite, sem insónias.
Um grande beijinho.
Branca

Mar Arável disse...

Repito

Abre o pano

Cai o pano

O tempo passa

Bjs

f@ disse...

Olá Graça,

...Acho que tu acordaste o Poeta…

vaguear pelas palavras no silêncio da insónia pinta um céu de luar nas tuas paredes para uma noite tranquila e um amanhecer com gotas de nuvem…

!menso beijinho

Everson Russo disse...

Coisa melhor não há, acordar com o poeta no pensamento, e sendo Fernando Pessoa,melhor ainda...otima semana pra ti querida..beijos na alma.

Daniel Costa disse...

Graça

Quem tudo, nem sempre se viva na insónia, nas preocupações vivenciais, como as de Fernado Pessoa!...
Desejo e agradeço o comentário deixado no post da Renata.
Retribuo com beijos.
Daniel

José Carlos Brandão disse...

Gostoso de ler, e sentir com você. Procurei fora de mim, no mundo, na natureza, diz Santo Agostinho, e estavas dentro de mim. Refere-se a Deus, mas o que procuramos sempre está dentro de nós. A natureza extasia? Certo, mas porque o êxtase estava dentro de nós.
Um beijo, amiga.

Paola disse...

"Interiorizei as perguntas. Procurei as respostas." E não é isso que fazemos sempre? Ao sabor da poesia... da vida... de nós... só porque sim...a balbúrdia que se ouve lá fora... a corrente dos actos que passam... abafam o grito da dúvida... do medo... da tristeza... que tornam à noite, escorrendo pelas paredes...contorcendo-se nos versos dos poetas...

Beijo. Abraçado.

MCampos disse...

Acordar com um poeta no pensamento é ser já poesia. A Graça consegue dizer a tristeza de uma forma tão sua. Sempre uma experiência lê-la. "Que coisa é essa que procuras dentro das coisas?" é uma pergunta para a qual continuamente eu procuro a resposta. Fernando Pessoa o poeta que acorda consigo, partilho este seu gosto. Obrigada pela visita. Gosto de sabê-la por lá.

Um abraço.

Braulio Pereira disse...

ola querida amiga.

que belo despertar com o poeta..

assim assim com coragem..

força
e

altivez..


beijo-te...

. Paulo . Intemporal . disse...

. lind.íssimo ,,, Graça .

. 100 palavras .

. que a abertura do pano aos dias felizes sejam sempre como o içar da bandeira da lucidez, o que por vezes nem sempre acontece .

. porque é de gente que se trata .

. o teu beijo de hoje, querida Graça .

Com ou Sem conclusões disse...

Sempre venho aqui, mas não me sentia a vontade de comentar.. Mas com Fernando Pessoa.. Gostaria eu de acordar com esse poeta no pensamento... Que bonito esse poema q colocastes dele... Continuo vindo aqui, quem sabe agora comentando.

Carlos Gonçalves disse...

Graça, porque caminhos insondáveis deixas voar o teu espírito, quais os desassossegos que permites te invadam no mais intimo da tua alma?
Uma coisa te digo, estes caminhos desconhecidos, são na sua angustia, um sinal de esperança, são alertas, hoje, do teu ensaio pelo amanhã.

Um beijo.

Carlos

Nilson Barcelli disse...

Nunca acordei com nenhum poeta no pensamento... mas é um dos meus poetas favoritos. Tenho aprendido muito (quase tudo o que sei) com ele.
Querida Graça, gostei do teu texto, apenas com uma ressalva: o pano deve estar sempre aberto aos dia felizes... nunca o feches.
Beijo.

Vivian disse...

...que dádiva esta de acordar
com o poeta maior!!

até parece que o dia se faz
mais claro do que já é...

e vc, pessoa linda e sensível,
mereceu este despertar.

beijo imenso, querida!

Marta disse...

Abre-se o pano a outras palavras que acrescentam outras sensações e preenchem essas lacunas...
Porque o mundo gira, as palavras também e o tempo fica à nossa mercê..
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Whispers disse...

Querida Graca!
Passando pra te deixar mil beijinhos e te desejar um dia de paz e luz
Rachel

Anónimo disse...

No céu rasgado a incertezas pairam sempre nuvens de razão que toldam os sentires do coração...!
É porque a VERDADE também é relativa que a Ciência procura os factos. Também estes, no entanto, escondem mistérios que se fundem numa cadeia intermi´nável de novos factos sem certezas absolutas.
Afinal, "o Poeta é um fingidor"???
É essa consciência da dúvida, capaz de dar razão às razões do coração?

Beijo, sem dúvidas
Emília

A Magia da Noite disse...

há sempre alguém a quem a poesia consola, abraça e embala, ainda bem que Pessoa te abraça nos dias cinzentos da tua existência.

Maria Emília disse...

Abençoado Pessoa. Mas ainda me interrogo: poeque é que os seus dias adormecem no cansaço da tristeza e o seu sono é agitado? Porque não despe o seu corpo e convida o seu Ser a dormir consigo?
Um grande beijinho,
Maria Emília

Rabisco disse...

Os dias incertos e as noites em sobressalto fazem parte!
Infelizmente atravesso algumas horas assim!
Mas agarro a essa alma de sonhadora que tens, no mínimo resultarão outras lindas palavras como estas...

Beijinho