Ensaio pela chave...

[Graça]

Sempre se conhecera assim. Incrustada entre ombreiras sólidas. Era uma porta fechada, que nunca se abrira de verdade.

Maciça e robusta, ostentava uma fechadura inviolável... recusara a função primordial de ser mera passagem. A antítese da entrada e saída nunca lhe parecera fundamento de vida.

Tinha, ainda, da sua distante juventude, vestígios de verniz, já quebrado, já sem cor... o tempo deixara as marcas do seu indiferente transitar. E orgulhosamente resistira. Fechada.

Não quisera batente, nem postigo. Rejeitara sempre qualquer tentativa de casuais e efémeros visitantes. Gostava de se imaginar porta secreta de dias por descobrir.

Sempre se conhecera assim... aguardando, pacientemente, que alguém lhe encontrasse a chave.

14 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Quandoencontramos a chave...
Cadinho RoCo

Whispers disse...

Querida Graça!

Por vezes é melhor se manter a porta fechada
E fazer maneiras que ninguém encontre a chave
De tanto tempo a porta estar fechada
Provavelmente ao abrir se vai sentir invadida
Querida,que tenhas uma semana maravilhosa

Sabes,eu acho sempre os teus posts pensativos
Que me leva sempre a outro lugar,positivamente,claro

Beijinhos mil minha linda

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Não, não somos portas, e ainda que fôssemos deveríamos ter posse da chave. Já pensou esperar a vida inteira para quem alguém abra o nosso coração, a nossa alma ou coisa que o valha?
Mas se se trata só de uma porta e não de uma metáfora, vc está de parabéns, pois o texto é ótimo.
Beijos, querida,
Renata

Paulo disse...

Graça,

Cá para mim, andas à procura de outros registos. Casas, portas e qualquer dia vais ensaiar à janela, já sei. E tudo isso porque não deixas sair o verso que há em ti :). Isto sou eu de manhã, a tentar perceber se abandonaste os ensaios sobre as aulas.
Bom, li o teu texto como complemento da tua foto, bela e sem dúvida ainda com sabor a Minho.

Que a tua semana, a última, seja óptima, e um beijinho em ti, querida Graça.

PJB

Tchi disse...

A chave da porta da espera, com fechadura especial.


Beijinhos.

Paola disse...

Ai, amiga... a fotografia... A fechadura... a chave... o ferrolho... Vá lá! "Abre todas as janelas que encontrares e as portas também"!

Beijo abraçado.

Nilson Barcelli disse...

Mesmo que não se saiba o porquê, não há porta que não ceda a um encanto que a perpasse, que surge sem sabermos de onde nem como.
O que sei, isso sim, é que consegues ensaios de tudo o que quiseres, tal é o teu elevado nível de criatividade.
Querida amiga, tem uma excelente semana.
Beijo.

Vieira Calado disse...

A chave... como a liberdade!...
E que bela música que nos trás!

Beijoca.

f@ disse...

Olá Graça,

Começo logo a Brincar com o título…
(en) saio … se tiver chave senão saio na mesma…

Agora vou ler…

A chave mestra…?

Este teu post é imenso… pelo tanto que nos diz… pelo que podemos divagar…
Todas as portas se abrem e fecham… algumas desejavam ser janelas…para ter vidros para ter cortinas… para deixar olhar o céu e entrar os pássaros… mas há tb janelas com grades… essas são pior que portas perras pelo tempo…


Uma porta assim bela como a da tua imagem… e uma chave dessas, de tal tamanho… nunca se perde…
Entrar assim na porta secreta para o en*saio tem uma magia única…
Só tua…

Adorei por todos os motivos…
Ainda divago sobre este meu comentário para um poema no salp!car-te… se não te importas é claro… e tb não sei quando … se acontecer mostro-te primeiro…
Boa noite e imenso beijinho

o que me vier à real gana disse...

Ah ganda porta!... Porfiaste por um ideal - nada de utopia, ainda k esta seja elixir... -, tangível, sabe-se lá quando, mas tangível.
Estou como o Outro: " Quem porfia mata caça".

bj Graça

Régis Castro disse...

Querida Graça...

Como são deliciosas as sua palavras...

Essa chave por vezes tranca todas as portas do nosso coração, isso por vezes nos isola do mundo, o real mundo em que vivemos... E nos tira a felicidade, mas essa mesma chave abre pra sempre estas portas e de novo nos devolve a felicidade.

Saudades

A.S. disse...

Graça... belissimo este teu texto, onde revelas talvez o teu lado mais fascinante...
Todos nós temos uma porta secreta, que nos serve de refúgio quando a emoção se apodera dos nossos gestos...


Beijos...

José Carlos Brandão disse...

Ausente por uns dias, gostei de retornar ao seu espaço agradável, sugestivo. Ver essa grande chave, por exemplo, mexe com o peito. É algo íntimo. Somos portas fechadas, à espera da chave. E sabe que temos medo dessa chave? Falmos em chave referindo-nos à vida, falamos em porta buscando passagens, quando a porta e a chave cerram o nosso interior, que queremos e tememos desvendar.
Sim, seu texto - com a bela foto - é bem instigante.

Um abraço bem amigo.

Brancamar disse...

Querida Gaça,

"Gostava de se imaginar porta secreta de dias por descobrir."

Muito lindo! Hoje nem te sei comentar ou não quero, porque as tuas palavras dizem tudo...
E há sempre em ti dias por descobrir...de imaginação, inteligência, amizade, mensagens plenas de vida!
A foto está linda e imagino que é a bela e robusta porta de um "loja" minhota, aquela que todas as casas têm e onde se guardavam as alfaias e os víveres e tudo o mais que fosse necessário.
Portas que realmente encerram sempre um mundo secreto...!
Beijinhos.
Branca