Ensaio sobre a criação...

(foto de GMV)

Um dia destes, no meio de uma conversa sobre teatro, alguém perguntou: "Mas afinal como é que escreves uma peça?"

A minha resposta foi quase automática, imbuída da ironia que tanto gosto, "Escrevendo...". Claro que a pessoa não desistiu, a curiosidade era genuína, mesclada de admiração. "Como é que se inventa uma história? Pensas em quê primeiro?"

Não sei! Seria a resposta mais correcta. Não sei! Nunca pensei nesse acto de criação como algo explicável. Acontece. Do nada. Uma vezes, nasce primeiro o título... outras imagino antes as personagens... frequentemente invento, por antecipação, diálogos, ainda sem personagens... algumas vezes só visualizo gestos... é difícil exprimir o que ocorre no meu pensamento, quando um texto dramático começa a dar os primeiros sinais de vida.

O mais curioso é que sempre tive essa mesma dúvida em relação aos escritores que admiro. Principalmente os poetas. Como se cria um poema? Pensa-se em quê primeiro? É sentido o que se escreve? Ou meramente inventado, com o dicionário sempre pronto à ajuda?

Estou, neste momento, esboçando a minha próxima peça. Uma espécie de parto provocado. Não escrevo. Concebo-a, ainda só no mundo das ideias (gosto de Platão!). Na ausência do sono, recrio cenários, pinto trajos, sugiro movimentações em palco. Só mais tarde pegarei no meu caderno e, com a minha caneta de tinta preta, iniciarei o texto, ordenando as palavras em falas e didascálias. O título, por enquanto, é provisório, as personagens ainda sem a vestimenta dos meus adoráveis actores dos Trinta por Uma Linha. Sei, como sempre acontece, que vou gostar de partilhar as minhas ideias com aqueles que as transformam em momentos únicos. Sou apologista dessa troca, reconheço que o sucesso será garantido, se cada um dos meus actores se sentir bem no papel que eu inventei.

Afinal, como se escreve uma peça? Ora, escrevendo...

10 comentários:

O Profeta disse...

Sabias que sou encenador e dramaturco de uma conhecida companhia de teatro por estas bandas...?


Doce beijo

GMV disse...

Não sabia, mas adorei saber.

O Profeta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
GMV disse...

Obrigada, Profeta.

Anónimo disse...

Cá estou, numa visita breve. Primeiro, detenho-me sobre o teu “ensaio sobre a criação…”. É tão bom habitar as tuas histórias, as tuas peças. Mesmo no papel, à partida secundário, de quem as assiste numa plateia (a abarrotar, já se sabe).
Depois, encosto-me ao teu “ensaio sobre o futuro…”. Eu, hoje, prefiro fazer de conta que o tempo não existe. Tenho receio de o pautar. Passado, presente, futuro.
Afinal, cada tentativa…faz-me rodopiar…num ciclo…de incertezas. (Já viste um cão a tentar apanhar a sua cauda? É essa a imagem). Beijo grande, amiga.

Anónimo disse...

Ora, escrevendo...como se fosse fácil. beijos para ti escritora.
PJB

Carlo Rochas disse...

Queria antes de tudo pedir-lhe desculpas por só agora passar pelo seu “recanto” do qual li os dois últimos “escritos”, pena não ter a possibilidade por enquanto de mostrar mais algo no Colorabilis. Parabéns pela sua sensibilidade tanto espiritual como espontânea. Imagino que deva ter imenso que fazer, sei o que isso representa. Continue, e faça-nos desfrutar dos seus criativos pensamentos. Um bem haja.

Até breve. C.R.

GMV disse...

Obrigada pelas suas palavras, Carlo.

Sérgio Figueiredo disse...

Minha Amiga,

Agradeço a tua visita e comentário no meu blog.
Em retribuição e com muito prazer, visito este teu espaço e dou de caras, em primeiro lugar, com uma nova amizade e depois com, para já, um post (este último) que expressa o teu dedicar à escrita, à criatividade e, finalmente, à arte de representar... o Teatro.
Como disse, ainda só li este teu último post mas, quero visitar-te mais vezes e conhecer-te um pouco mais naquilo que te dedicas.
Engraçado...há uns anos, largos, fui contra-regra e posteriormente, sonoplasta, num Teatro, mais concretamente no Villaret em Lisboa.

até breve
Beijo
sérgio

Sunshine disse...

Olá!!

" ...Afinal, como se escreve uma peça? Ora, escrevendo..."

Parece tão fácil dito assim .. e escreves mt bem, prendes a atenção, um dom que poucos têm.

Bjs e obrigado pela visita.

PS: As fotos estão lindas, como deves ter reparado adoro fotografia.