Ensaio do exagero...




     Por vezes, sabe tão bem ser-se surpreendida, com as palavras, ainda que hiperbólicas, que outros nos dirigem.
     É assim, também, este palco: cheio de mim!

8 comentários:

Mel de Carvalho disse...

sabes, Gracinha, não encontro qualquer exagero na(s) palavras dos teus conterrâneos, que considero, verdadeiramente ajustadas ao orgulho que sentem por ti, e que eu, que compartilho contigo a tua terra de adopção (Alverca)também sinto. e foi desse orgulho que me enchi quando, por tuas mãos, li o Jornal de Letras aqui referido (minha tão grande culpa de não o ter lido antes, amiga...).
o teu discurso escrito é consonante com a tua atitude na vida, com a tua postura enquanto cidadã, enquanto professora.

logo, Gracinha, é da maior justiça que te refiram e se orgulhem de que sejas "um deles".

bem hajas, Sempre!!!

beijo com enorme admiração,
Mel

Lídia Borges disse...


Que bonito, Graça!
Muito bom sabê-la assim querida no chão das suas raízes.
Razão para isso não falta à gente da terra.

Li o referido artigo no JL e até eu me senti orgulhosa. Temos em comum a profissão, o gosto pelas artes e (soube-o agora, curiosamente, o nome do seu pai é o nome do meu (já falecido).

Um beijo e prossiga nesse caminho de encantar, sempre!

Carlos Gonçalves disse...

Graça, tantas saudades de ti, tanta verdade nas minhas saudades, mesmo eu, que até de mim, das minhas saudades me perco...

Carlos Manuel Gonçalves

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor sempre

no nosso palco
Bjs tantos

Anónimo disse...

E dizes tudo, sem ruído, apenas com alma de poeta e a sabedoria de quem está atento à vida...e são tão poucos.

Beijos
Branca

Com ou Sem conclusões disse...

Que lindo, Graça! Que lindo! Isso, o periódico, são belas flores num entreato. beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

e para quando um regresso aqui aos teus ensaios?!

beijos

:)

Nilson Barcelli disse...

O reconhecimento não é nada de exagerado quando é merecido. Como é o teu caso.
Gostei de te ver no jornal...
Beijo, querida amiga Graça.