Ensaio por um 'imenso' detalhe...





Há dias em que o palco abre o pano a todas as emoções... e a encenadora, sentada numa plateia de sorrisos sentidos, aplaude, apenas, com um coração cheio de palavras.


Hoje, foi um desses dias. O calor que se fazia sentir, na minha adorada cidade, antecipava uma tarde quente, na partilha de todos os afectos.


Ali, bem no centro do Campo Grande, a Maria João Martins apresentaria o seu livro de poesia, "Do outro lado do espelho". Há muito tempo que, num silêncio de admiração, a leio, no seu blogue 'Pequenos Detalhes'. Nunca quis deixar um comentário, um sinal da minha passagem, porque, tantas vezes, o que fica por dizer é o mais importante. Disse-lho hoje, num abraço sentido, cúmplice, de quem ama as palavras e respeita todos os que as sabem dizer... escrevendo-as, oferecendo-as, como numa dádiva límpida.


A sessão vestiu-se de uma simplicidade plena de sentires, palco onde só os 'grandes' se tornam 'inteiros', como tão bem souberam dizer a [querida] Mel e a Otília, ao apresentarem o livro.


Há dias em que o palco é maior, quando se representam, tão-somente, momentos de vida. "Tenho flores plantadas à minha espera", assim termina o poema da Maria João, que li durante a apresentação... um imenso detalhe, num jardim de poemas, hoje mais florido, porque regado a amizade.


[Que seja o primeiro de muitos, querida Maria João.]

13 comentários:

Lídia Borges disse...

Triste por não ter podido estar presente, fico agora feliz com estas palavras.
Gosto muito da escrita da Maria João e penso ainda poder felicitá-la, pessoalmente.
O que não sabia é que tinha perdido a oportunidade de conhecer outras pessoas que também admiro muito como é o teu caso,Graça.


Um beijo

BRANCAMAR disse...

Ai, Graça que inveja boa me fizeste agora sentir e ainda por cima com a oportunidade de estar contigo, bolas, se fosse no próximo mês tudo seria diferente...
A Maria João sabe que estive até à última hora a pensar meter-me no alpha Porto-Lisboa e aparecer. Só o impediu os inúmeros compromissos que tive e tenho este fim de semana. Sexta à noite um espectáculo em Matosinhos para o qual já tinha marcações, ontem um outro compromisso na Maia relacionado com uma feira e Domingo que já é hoje o baptizado-comunhão de um sobrinho-neto blogosférico aqui no Porto.

Fiquei triste por não estar convosco, :( e outros amigos.

Mas, felizmente a Maria João mora na mesma terra onde mora o meu filho, no nosso querido Minho e há-de haver outra apresentação, felizmente já tivemos a oportunidade de nos conhecermos pessoalmente no meu próprio serviço, onde veio dar uma formação, porque a Maria João é uma mulher multifacetada, por isso escreve tão bem, porque conhece muitos mundos, porque é muito sensível, porque as crianças e os jovens são o chão e a dor com que todos os dias convive e trabalha.

E porque tu és linda e surpreendente, aqui te deixo um obrigada por este post a uma amiga e porque muito me alegrou que lá estivesses.

Beijos
Branca

Mel de Carvalho disse...

Foi um momento único, sim, Gracinha. Pela João e pelo cordão humano de afectos que congregou em seu redor.
E também, no caso, por nos permitir dar o tal abraço adiando há algum tempo...

E que tal ser a Graça a próxima? Faz-me sentido, sabe?
Entendeu bem: é um repto!!!
E, oiça, do coração, de coração, a Mel estará na 1ª fila a aplaudir de pé!!!

Beijo minha amiga e vizinha (que pequeno é o mundo, não é??)
Mel

Maria João disse...

Graça...

Ontem mesmo, depois de todas as luzes adormecerem, vim aqui. Tinhas o pano subido e no cenário, havias colocado as emoções de um pedaço raro de tarde, onde o calor humano se sobrepôs à energia quente do sol.
Fiquei aqui quieta, a ler-te, e porque são mágicos os sentidos no nosso próprio silêncio...
tornou-se real, de novo, aquele nosso forte e caloroso abraço.
Ontem como hoje, não tenho palavras. Apenas sei, que são belos os pedaços raros de qualquer tempo, onde as pessoas tocam e se deixam tocar na alma.


Um beijinho para ti e a minha enorme gratidão.

Sonhadora disse...

Minha querida

Palavras lindas e sentidas...e a Maria João merece, agora ainda fiquei com mais pena de não ter podido ir, deve ter sido um calor humano imenso...como imensos são os poemas dela.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Nilson Barcelli disse...

Muitos dos que publicam não têm um mínimo de qualidade que o justifique.
Mas não é o caso da Maria João, já que ela tem imenso talento.
Beijos, querida amiga.

A.S. disse...

"A sessão vestiu-se de uma simplicidade plena de sentires, palco onde só os 'grandes' se tornam 'inteiros'"

Graça, permito-me aqui deixar um abraço de amizade à Maria João, pelo seu talento e simplicidade. Não esquecendo a Mel, escritora de reconhecidos méritos e a ti querida Graça... porque sim!

Bem Hajam!
AL

Ana Martins disse...

Boa noite Graça,
Não estive presente, mas conheço bem a poesia da Maria João, assim como já tive o prazer de a abraçar no lançamento do meu primeiro livro.

Parabéns pela homenagem e divulgação!

Beijinho,
Ana Martins

Canto da Boca disse...

Graça, adentro-me ao ambiente em respeitoso silêncio, para sentir e aplaudir a poesia e a poeta!

Beijo!

Mar Arável disse...

Foi com muita pena minha que não pude estar fisicamente presente
mas estive lá

onde a poesia acontece
Bjs

rosa-branca disse...

Olá querida Graça, fiquei triste pois queria tanto estar presente, mas as divergências da vida e dos gostos assim o quiseram. Também gosto muito de ler a Maria João. Espero que tenha muito sucesso. Agora o teu palco ficou mais iluminado com a luz da amizade. Que brilhe sempre como até agora. Beijos com carinho

Pensador disse...

É mesmo muito bom poder ver a vitória de quem a gente queira bem.

Beijo, Graça!

Vieira Calado disse...

Hoje estive a re(ver) uma peça muito curiosa dum amigo, no Centro Cultural de Lagos.
Chama-se Sainete e é feita dum manuseamento de máscaras.

Muito interessante.

Bjss