Ensaio pela renovação...

[Luís]


Adormecera no centro do palco, resguardada pelo peso de um pano cansado. E sonhou-se.

Sonhou-se barco, deslizando no rumor doce do rio, a esmorecer por entre as brumas. Sentiu o alargar das margens, clamando um desaguar perfeito nos braços de um mar revolto. Fez dessas águas o lavar das suas memórias; rasgou, na correnteza desenfreada, cada palavra não recebida; afogou todas as ausências não desejadas; fundeou cada desilusão trazida por silêncios permanentes.

Sonhou-se barco sem leme, ateado no seu peito, seguindo o seu curso de sentido único. E a noite já não era noite. E o pano de cena, abrigo da sua alma, abrir-se-ia a outros aplausos. E vogaria pela vida, ao sabor de uma indefinida inquietação. Renovando o seu papel a cada sinal de tormenta, nessa peça por inventar.

21 comentários:

São disse...

O sonhar-se é já uma benção, pois nos dá a toda a liberdade .

A tua escrita continua a agradar-me!

Por favor vai até ao "são" em Dia de Reis, sim?

Um forte abraço, minha amiga.

Lídia Borges disse...

"E vogaria pela vida, ao sabor de uma indefinida inquietação."

Ainda assim, prosseguiria, sempre sem desarmar, porque "a peça" vale a pena e "o público" merece-a.

Um beijo

Everson Russo disse...

Novos rumos, novos caminhos, sonhos enfim,,,,beijos de bom dia pra ti amiga.

Manuela Freitas disse...

Excelente texto! Sempre ensaiaremos renovações, que vão pedindo outras e outras, até o barco se afundar!...Destino fatal!..Embora me questione muito relativamente ao destino, este é inquestionável!
Bom ano!
Beijo,
Manuela

AC disse...

Peça por inventar que é motor de muitas buscas...
É sempre um enorme prazer navegar por estas águas, Graça!

Beijo :)

Marta disse...

E falaria sobre as tormentas em voz renascida....Porque a esperança é nova; porque a luz intensifica-se....
Numa nova peça....
Gostei muito, Graça...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

o sonhar por vezes é um ensaio, sem palco, e sem espectadores.

gostei muito do texto (gosto sempre).

um bom ano de 2011 e

beij

São disse...

Gracinha, a tua prenda espera-te desde já no "são" e espero que a vás buscar, rrs

Um serena noite.

Machado de Carlos disse...

Adoro sonhar. Quando sonho me misturo com a realidade. Gostaria sempre que o sonho nunca terminasse.

sideny disse...

Olá Graça

Muito bom este teu post.

beijinhos

Cristina Fernandes disse...

Embarcar nesse barco dos sonhos, renovando a peça a que chamamos vida. Excelentes os teus ensaios, que tocam a alma por ensaiar...
Beijinho Graça
Chris

A.S. disse...

Sonhou-se barco. Partiu. Navegou pelos mares que o encenador previamente determinou. Sentiu vontade de acordar para escolher seus próprios rumos. Abriu os olhos no meio de um nevoeiro feito de anilina, o barco navegando sobre um chão de holofotes imitando as ondas, fingindo a manhã numa noite afivelada de disfarces. E sim. Decidiu... "vogaria pela vida, ao sabor de uma indefinida inquietação. Renovando o seu papel a cada sinal de tormenta, nessa peça por inventar."
Não voltará a adormecer no centro do palco, mas continuará a sua viagem no seu próprio barco, na corrente imparável de um rio verdadeiro, enfrentando os ventos, as tempestades, determinará os seus rumos, sonhará os seus próprios sonhos... será livre!...

Um beijo meu Graça!
AL

. intemporal . disse...

.

. graça,,, .

.

. após a leitura, que este silêncio te diga tanto .

.

. bel.íssimo o teu verbar .

.

. o teu beijo terno de hoje, de todos os dias . um bom fim de semana .

.

. paulo .

.

Mar Arável disse...

Tudo se move

até o coração dos barcos

quando sobem ao palco

para içar velas

E G Miranda disse...

Boa noite, Graça,
Os teus textos são sempre poéticos, sempre repletos da magia das palavras.
Parabéns. Que seja o primeiro de muitos, neste 2011, cheio de poemas e de poesias.
Beijo meu.

Paulo disse...

Alma inquieta, renovando-se sempre. Bem, ler o teu ensaio com esta banda sonora é qualquer coisa (de ti).


Beijo magnífico, querida.

Mel de Carvalho disse...

Graça,
talvez a renovação consista na equação (irresolúvel) de que somos, simultâneamente, o sonho e a vontade de sonhar...
o mar e a carta de marear
ou ainda, o barco e cais,
donde partem e regressam todas as luas inventadas...
Talvez, Gracinha, valha, a cada instante, esta nossa vida de actores ...

Valem, de todo, as suas palavras.

Gratidão e o meu aplauso
Mel

Pensador disse...

Sonhando-se barco, navegando por águas desconhecidas, ou por aquelas de todos os dias, águas calmas ou turbulentas, de rio ou de mar, uma lição sobre a vida ela pode conhecer bem:
Como as águas do barco, a vida é fluida. É movimento, é renovação.
Como as águas, a vida represada ou fica estagnada e morre, ou na primeira oportunidade arrebenta as barreiras que a prendem.
Desejo que, neste ano, a sua vida seja águas fluidas, Graça. Calmas e tranquilas, mas fluidas e levando-a para destinos de sonho.
Beijo!

Carmo disse...

Sonhou-se Liberdade!

Beijo

Boa semana, querida Graça

BRANCAMAR disse...

Olá Graça,

Há sempre uma peça por inventar, um sonho por viver, sempre um presente a renascer no mergulho de todos os instantes...

Beijinhos para ti.
Branca

lupuscanissignatus disse...

a âncora

dos

sonhos