Ensaio pela verdade...

[Luís]

"Que coisa é essa que procuras dentro das coisas?
Qual o pensamento que o teu pensar não alcança?
Por que céu voam as poderosas asas do teu espírito?
A que altas visões lhe é doloroso estar cego?"
[Fernando Pessoa]

Acercou-se, devagar, sorrateiro, ainda no resquício dos dias quentes, esse mês de Setembro. Não dei pela sua chegada, abstraída que sou das folhas de calendário, sempre que ausente do palco escolar, onde o registo burocrático de ser, implica o conhecimento dos dias, dos meses, dos anos.

A minha relação com o tempo é difícil. A minha percepção do dito é, na maioria das vezes, meramente psicológica. Um minuto que tem a dimensão de uma vida. Um ano que parece não ser mais do que um minuto de vivência, um minuto de memória.

No entanto, hoje, senti a imensidão do tempo que já passou, desde o início do ano. Oito meses concluídos...

E, assim, sem ruído, sem palco ou aplausos, chegaste, Setembro! Fala-me, de novo, da vontade de abarcar os dias, num abraço intemporal. Fala-me de equinócios de igualdade, na correspondência entre as partes desse todo que sou. Fala-me do brilho do olhar, que ainda deve existir, pelo desejo de aprender, em cada dia, uma palavra, em cada palavra, um objectivo de vida. Fala-me de palcos cheios de mãos que se encontram no silêncio do acreditar. Fala-me pouco de bastidores... ou melhor, não me fales. Fala-me de um tempo melhorado, em que os silêncios sejam apenas o repouso consciente da partilha, e não a negação da existência, numa história que há por contar. Fala-me dos risos sinceros, redobrados no trinar de dias felizes. Fala-me de mim, no acolher da minha estação, fala-me do Outono, estação de verdades naturais... conta-me como o verde amarelece, lentamente, relembrando que na vida há que mudar de papel.

Fala-me de um novo papel, de uma personagem renovada, numa peça que se ensaie, dia após dia, com a confiança de que, no palco, se encene sempre a verdade.

28 comentários:

Whispers disse...

Minha querida,
Vou de ferias,mas antes de partir vim te deixar mil beijos
Faz bem ler tuas palavras.
Beijos com carinho
Rachel

Marta disse...

Sim, que haja novos sorrisos, gargalhadas profundas...
Momentos inesquecíveis em que a vida fique em 2º plano e sejamos verdadeiramente nós.....
Lindo, Graça...
Beijos e abraços
Marta

AC disse...

Era bom que Setembro trouxesse com ele o vislumbre da igualdade e da partilha, um brilho no olhar ou o som de risos sinceros...
A mim, confesso, já me bastava sentir que algo começava a fermentar no silêncio. Como este texto, por exemplo.

Beijo :)

. intemporal . disse...

.

. a.setembro.me então aqui . pois sei que me falarás de todas as personagens que na/da verdade souberes re.inventar .

.

. tão somente ou a.penas porque o tempo corre veloz .

.

. um bom fim.de.semana .

.

. o teu beijo terno de hoje, o de todos os dias .

.

. querida graça .

.

.

.

. paulo .

.

Sonhadora disse...

Minha querida
Obrigada pela visita, espero que volte mais vezes.
Adorei o seu texto...recomeço de algo.


Fala-me de um novo papel, de uma personagem renovada, numa peça que se ensaie, dia após dia, com a confiança de que, no palco, se encene sempre a verdade.

E a vida continua.

Beijinhos
Sonhadora

Com ou Sem conclusões disse...

Lindo! Lindo!
Ja peguei esse de fernando pessoa!
heheheh

bjo

Com ou Sem conclusões disse...

Lindo! Lindo!
Ja peguei esse de fernando pessoa!
heheheh

bjo

BRANCAMAR disse...

Querida Graça,

Também eu me tento encontrar na contagem do tempo, neste Setembro que me é campo de muitas vivências.
Que o Outono seja um renovar belíssimo da natureza, porque as folhas que amarelecem, sempre rebentam em novos ramos de esperança e de verdade.

Espero por todas as verdades dos teus ensaios.

Beijinhos
Branca

sideny disse...

Olá Graça


Venho deixar um beijinho e desejar uma boa semana.

Mar Arável disse...

Também Setembro

tempo de colheitas

Braulio Pereira disse...

olá querida amiga

venho desejar-te um feliz
curso um novo ensaio
um renascer.
és um encanto de mulher.
ler teus textos sâo alegria para mim.me transformam acredita.

admiro-te pelas tuas virtudes
pelas tuas ideias por seres assim
apenas mulher...

mil beijos meus para ti querida
e amiga Graça!!

Nilson Barcelli disse...

Encenar a verdade é a peça mais difícil que há.
Até porque
"Talvez seja por isso
que passo pela verdade sem a ver
quando a procuro, pequenina,
no meio da abundância de mentiras."

Mas sei que tu encontras essa verdade que procuras em Setembro.
Querida Graça, boa semana.
Um beijo.

lupussignatus disse...

abraçar

o

dia


[tantas
vezes
adiado]


*boa
semana*

Anónimo disse...

Que Setembro se cumpra na amplitude do verde... Beijo meu.

L. Silva

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Se Maomé não vai à montanha ver
venha a Maomé
. Não me caem os parente na lama por adoptar estre procedimemto. Ainda que tenha vergonha de confessar as facécias que terei feito no palco. R estva só na caixa do pomto e esforcei-me por não dar gaffe nenhum...
Uma pergunta, apenas: tratei-te mal? Ofendi-te? Insultei-te? Disse palavras nenos cuidadas?

Enfim. tenho uma réstea de esperança , que creio que ainda ne dará um esgar de um sorriso, antes de baixar ao forno crematório. A Lilly traz os fósfores e tu acendes a bica de gás engarrafado. E segue-se a cremação.

Adeus Mundo cruel, adeus Amigas esquecidas, esquecidas, esquecidas. As minhas cinzas perseguir-vos-ão, ão. ão, ão, até ao fim dos vossos dias.

Qjs moribundos e exangues
ã
ão

Pensador disse...

Setembro, para vocês, é o começo do outono, a minha estação favorita. Aqui, a estação que está a começar é a primavera.
Mas é digna de nota a constatação que você faz. Já entramos na última parte do ano. Mais um que passou voando...
O importante é podermos ter seus belos ensaios.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gracinhamiga (???)

E eu anseio pela verdadeira visita lá a uma coisa que, relembro, é a http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com. Mais a mais no mes em que completo 69 tristonhos outonos (cf. novo Acd. Ort. a 20, tristonhíssimos pela tua deserção.

E mais não digno, senão começo para aqui a choramingar, e este blogue até pareceria um vale de lágrimas.

Mesmo assim saudades & qjs

Maria disse...

Setembro tem uma luz diferente. E um tempo diferente. E um entardecer calmo e suave.
E o Outono é a estação de que mais gosto, tem mais poesia...

Beijo, Graça.

São disse...

Bela maneira de falar(es) do mês em que vim-à-terra.

E que bom começar o dia ao som de tão alegre música.

Um bom dia para ti, Gracinha.

BRANCAMAR disse...

Passo para deixar uma força no recomeço deste ano escolar e para te abraçar, com muita amizade.

Beijinhos
Branca

BRANCAMAR disse...

Trago-te um abraço, com muita força, no início deste ano escolar.

Que os teus ensaios sejam de ouro para os teus lindinhos e música para a tua alma.

Beijinhos
Branca

A.S. disse...

Querida Graça...

Prenúncios de Outono, quando o encenador lança um olhar vago sobre palco, ainda sem actores, mas olha também, profundamente, para dentro de si...
Sei que é um momento que o encenador vive com particular ansiedade, ouso, por isso, deixar-lhe algumas palavras:

Para grandes amigos aplausos! Para os pequenos e os que ainda nao vieram...
que se tornem grandes!
E para os inimigos que se fechem as cortinas.
...Porque a vida é um teatro e nos temos que aproveitar o que há de melhor nela.

O meu Beijo!
AL

BRANCAMAR disse...

Peço desculpa pela quase repetição acima. Pareceu-me que o primeiro comentário não tinha ficado gravado.

Beijos
Branca

A Magia da Noite disse...

é assim a peça da vida, uma disputa entre o tempo que já passou e o porvir.

Graça disse...

Minha querida Branca,

Neste meu palco, não precisas de pedir desculpa... entras quando quiseres e como quiseres, porque para mim 'és'...

Beijo imenso de carinho, para ti e para todos os que me visitam.

Bom fim-de-semana.

Emilia disse...

Neste meu diferente Setembro, recordo um palco pleno de vida que sei também pleno de sentires e... venho sentir contigo o pulsar de mais um ano rico em aprendizagens e crescimento interior de todos os que contigo estarão. A eficácia que te é inerente não é função de sorte (palavra que ainda não entendi), pelo que te desejo um ano lectivo "pacífico" fora do palco e, nele, um tempo de enorme gratidão e satisfação.

Beijo
Emília

Lídia Borges disse...

"Fala-me de um tempo melhorado, em que os silêncios sejam apenas o repouso consciente da partilha, e não a negação da existência, numa história que há por contar."

Como me tocam, as tuas palavras!

Um beijo

José Carlos Brandão disse...

Mas que é a verdade? E que é o tempo? Santo Agostinho gasta boa parte de suas Confissões falando do tempo e da verdade - e está fazendo poesia.
Tenho para mim, neste momento, que poesia é representação de uma verdade por meio de máscaras - as imagens, as metáforas.
Beijos, minha amiga.