Ensaio extraviado...

[Luís]


Olhou vezes sem conta a folha branca. A noite estava fria. As nuvens pesadas agitavam-se na antecipação da impetuosa torrente. Lavar-se-iam as horas vazias... e o caos do pensamento alinharia rasgos de ordem.

A folha branca, expectante, calma, iluminava o escuro que jorrava da janela. Era já uma decisão: escreveria aquela carta. Começou resoluta... Hoje, algures por aqui, no ano em que te perdi.

Depois, com determinação, tingiu cada palavra com os afectos nunca pronunciados; desenhou em cada letra o silêncio da ausência; translineou os momentos vividos; relembrou, sílaba a sílaba, as gargalhadas de dias felizes; e a cada ponto final sentiu as promessas vãs de uma mudança de parágrafo.

Em momento algum redigiu um lamento, não podia, não havia... antes agradeceu as vivências partilhadas. Aquietou-se no final da carta, "tudo acaba/no começo de um dia". Assinou-se, corpo e alma, simplesmente, EU.

Lacrou-se em envelope de correio azul, mas antes, num acto de consciência, colocou a cruz na opção a preencher pelo destinatário: "Mudou de endereço".

Era isso, correspondência extraviada, para quem já não morava na sua vida.



31 comentários:

Marta disse...

Ou não...
Quem se confessa assim, de alma e corpo aberto....
Uma resposta, sim, mesmo que demore anos....basta apenas um momento...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo* Bela resposta* Ainda que demore, um dia todos respondem. Adoro*************************
Brilhante************************
Parabéns!


Na pausa para moderar tantos elogios que recebo, os singelos e sinceros como os seus e os d++++++++, vou ocupar o seu palco, amiga, e oferecer-lhe o meu de que você gostou pela simplicidade*****.


*O MEU AMOR É CEGO?
Não tenho mais tempo para respostas, ok?

O meu amor é lúcido. É tão lúcido que chega a questionar a sua própria existência.
Não me venham falar de sininhos, ou de borboletas, e outros bichos na barriga, do para sempre, etcx.
Também não me venham dizer a frase: " vc só diz isso porque nunca amou ninguém", pois sou bem capaz de responder "pois é, e é muito provável que isso nunca venha a acontecer."
Não, não sou misantropa, não desejo o fim da humanidade e muito menos a expressão do ódio. Sou poesia, sensibilidade e amor. Mas não é desse dos trezentos, sem garantia, com prazo de validade para acabar na semana que vem, com livro de instruções só em chinês, com defeito e com preço.
O meu amor é outro. É pelas coisas grandes. Grande não quer dizer tamanho. Nem comprimento. Nem largura. Grande tem que ver com a verdade. E eu gosto de coisas verdadeiras. Não gosto de brincar com dramas imaginários, não gosto de dizer palavras por dizer, nem de as ouvir em vão. Eu gosto da verdade simples. Que está escrita nas mãos, porque tenho o tato.
Se o meu amor é cego? Não sei. Só sei que já me descobri. Por isso não sei o que é verdadeiramente grande (verdadeiro).
É que eu não gosto nada de me enganar. Só nas contas de matemática: fácil demais*

Bis para a Graça sempre!
Beijos.
Bom dia de hoje****************
Renata

Visitas agora só quando der ou na pausa

Paulo disse...

"tudo acaba no começo de um dia", ou seja, há sempre um novo começar. Minha querida, uma bela carta, mas que seja a última :)).

Um beijo magnífico em ti. (já tinha saudades de te ler, cada palavra verte o teu ser)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ah! Cansadas +++ descansemos porque é preciso.
+ Merecemos :))))

*Não me pressionem. Sou capaz de me lançar contra a espada só pra provar a minha liberdade*
Li sei lá onde e amo**************

Braulio Pereira disse...

olá querida amiga

sempre há um sol a brilhar.

feliz dia

cuida-te


beijos do sol!!!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Destes que falo, uns 400 por dia.
Fácil:)))
Bom dia sempre, grande amiga Graça.
Beijos de Amor e Paz**************
Renata

margusta disse...

Querida Graça,

...um texto FANTÁSTICO , desde o início até ao ultimo ponto final...que em si encerra definitivamente o próprio "ponto final" .

Adorei cada uma das expressões poéticas usadas.

E é tão verdade que "tudo acaba/no começo de um dia" ...

Por inteiro na despedida como na entrega ... "Assinou-se, corpo e alma, simplesmente, EU."

Sabes..também eu me identifico com o que escreves.
E, essa janela fez-me lembrar a de um quarto bafiento, onde as palavras mofaram...

Deixo um beijinho de carinho e amizade este com destinatária e endereço, pois mora nos meus afectos...TU!

Margusta

Pensador disse...

Apenas fica o medo: fechar as portas, destruir as pontea mesmo sempre uma boa ideia?
Algumas vezes, de uma pequena semente de esperança pode nascer uma grande árvore, rica em frutos.
Beijos!

São disse...

A folha branca a iluminar o escuro que vem da janela é uma imagem bem linda.

Beijinhos, linda.

Se me quiseres conhecer um pouco melhor é só ires ao "são.

A.S. disse...

Querida Graça,

A noite estava fria. As nuvens pesadas, agitavam-se na antecipação da impetuosa torrente. Do local onde me encontrava, vislumbrei um pequeno barco, sem que fosse inteiramente possível prever-lhe uma trajectória. Talvez navegasse como uma carta sem destinatário. Talvez venha a perder-se no nevoeiro que faz desaparecer o horizonte, ou chegue a uma costa tranquila,distante, cheia de luz. Talvez o vento o faça rodopiar, fazendo com que embata com um rochedo gigante, transformando-o num fantasma monstruoso que deixará sinais no fundo do mar. Restos a serem recolhidos mais tarde, quando já ninguém falar do naufrágio. Como uma frase escrita. Sem leitores. Petrificada. Ilegível. Um epitáfio.
Tudo acaba no começo de um dia!


Beijos meus!
AL

Brancamar disse...

Como sempre Graça, os teus textos são tão intensos e tão bem elaborados, ou não fosse esta a arte que ensinas todos os dias!
Este é um ensaio triste, dos mais tristes que já te li, pelo menos para mim é sempre triste que haja um fim radical seja para o que fôr, uma mudança total de endereço, para mim o fim só existe no acto da morte, mas acredito que muitas vezes não há nada a fazer quando a correspondência se extravia mesmo.
Há muitos lados da vida que ainda não conheci apesar da idade, mas que não tenho interesse nenhum em conhecer.
Nâo desisto fácilmente das pessoas de quem gosto, mas sei que a vida não é tão linear quanto gostaríamos que fosse.

De qualquer forma que no começo de um novo dia, tudo recomece, ainda que de outra forma...

Beijos de amizade, sempre.
Branca

AFRICA EM POESIA disse...

GRAÇA
Saudades....
O meu livro começa assim,,,

POESIA


Poesia...
Verde...
Branca...
Ou...
Branca...
Verde...

Mas...
Poesia...
Simples...
E colorida...

E nestes poemas...
De cor...
E alegria...

Sinto...
Que a bola...
Acabou de chegar...

E o primeiro...
Pontapé...
É mesmo meu!...

LILI LARANJO

José Carlos Mendes Brandão disse...

Provocou-me a foto. O texto lembra-me o livro de um jovem poeta brasileiro: Mudança de Endereço. Gozado, não? Queremos sempre ser encontrados.
Beijo.

Whispers disse...

Querida amiga
Nao posso ainda ler o teu post todo.
Mas nao deixo de passar aqui e te deixar mil e dois beijinhos de amizade
Rachel

© Piedade Araújo Sol disse...

comovente, escrito com alma.

gostei!

bom fim de semana!

beij

Carlos Gonçalves disse...

Um olhar para trás, depois da passagem para a outra margem!
A impetuosa corrente tinha levado vivências, uma parte da vida, alguns momentos felizes, promessas não concretizadas...
No final, a esperança... 'no começo de um novo dia'.

Um beijo, querida Graça, em ti, no fascínio da poesia das tuas palavras.

Carlos

Luis F disse...

Uma interessante e magnífica prosa. Gostei muito de ler este teu texto e de sentir cada palavra.

Parabéns
Luis

sideny disse...

Ola

Venho deixar um beijinho

e desejar bom fim de semana.

beijinhos:)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ofereço-lhe o que me foi oferecido porque de vc não me esqueço, grande amiga!

*A chuva, canta uma bela melodia
Ping, Ping...
Chove sem cessar...
Corre pelos caminhos e rios...
Rega, flores neste belo jardim.


Fernando Pessoa
A Chuva Desce a Ladeira

A ÁGUA da chuva desce a ladeira.
É uma água ansiosa.
Faz lagos e rios pequenos, e cheira
A terra a ditosa.
Há muitos que contam a dor e o pranto
De o amor os não qu'rer...
Mas eu, que também não os tenho, o que canto
É outra coisa qualquer.

Beijos nesse seu lindo coração.*


Bom descanso, Graça querida!
Renata

Laurita disse...

Querida graça, o texto todo ele é saudade, nostalgia, amor, tem tudo este lindo texto. Até lágrima minha, querida amiga. Tenho esse defeito a nostalgia anda comigo de mãos dadas com a saudade. Beijos querida amiga

Vivian disse...

...como bem disse o Carlos,
reminiscências a espera
de serem deitadas no papel,
vindas de um tempo distante.


você é linda com as palavras.

bj, querida!

Emilia disse...

De Poesia não-ser, é inverdade pura, porque cada letra arrasa o sentimento e cresce em emoção. Minha amiga poeta, em ti, cada começo é e será sempre um triunfo.
Beijo enorme, de corpo e alma: MEU

Emília

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Graça!

* Há apenas quatro questões na vida. O que é sagrado? De que é feita a alma? O que vale a pena ser vivido e qual é o motivo pelo qual vale a pena morrer? A resposta é a mesma para todas: apenas o amor. (Don Juan de Marco)

Bom Feriado! É Carnaval! Pule!

Eu vou pular na cama!* Uma gripe chata havia grudado em mim. Fui à médica. Consegui espantar essa chatice! Firme e linda nos meus 40 quilos!
Viva a vida!
* Se tiver acompanhante melhor:)))

Beijos
Da Rê para vc, querida!

Carmo disse...

Graça simplesmente magnífico! Sem palavras.

Fico-me apenas pelo silênco daquela noite fria... Quantas noites frias não passaram já pela nossa vida, e houve sempre um recomeço?

Beijinhos

Carmo

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Graça!

Como estou, acabam de me perguntar!

*Estou expansiva e confiante para expressar meus
sentimentos.
Concentro no amor e nas amizades; ambiente mais
ameno.
Esclareço circunstância desagradável.
Transformo o prejudicial em agradável.
Muita sintonia.
O amor está no ar.
Felicidade compartilhada.
Descompromisso formalizado*

Bem disposta, porém não posso fazer muito esforço.
Espero que a minha querida esteja bem.
Fique tranqüila, minha grande amiga.
Beijos e felicidades!

Whispers disse...

Querida Graca
Happy valentine's day para a minha eterna namorada
Mil beijos com carinho
Rachel

A.S. disse...

Querida...

Happy valentine's day. para a minha poeta mais querida

Beijos meus...

AL

Paulo disse...

Querida, sei que não gostas de "dias", mas não podia deixar de passar. Tu sabes :).

Beijo magnífico em ti.


PJB

Chris disse...

Um texto cheio de vivências, depois dos momentos vividos e partilhados, há um ensaio a que chamamos vida, um palco encenado por vezes extraviado.
Exuberantes as tuas palavras!
Uma excelente semana
Chris

rouxinol de Bernardim disse...

A imaginação, a ternura, a sensibilidade não mudaram de endereço! continuam a morar aqui! Oxalá para sempre!

1 bjinho

AnaMar (pseudónimo) disse...

Saudades de te ler. Vontade de te ler, pela necessidade de me libertar nas tuas palavras...Numa carta por escrever, mas que todos temos certa.

Melhor ser correspondência extraviada para quem já não habita a nossa vida.
Pior, quando mesmo assim, precisamos de a escrever.


(De tão bela, valia a pena enviá-la:-))
Beijo.