Ensaio pouco teatral...

[Luís]


A peça recusaria as falas. Seria apenas a árdua tarefa de exprimir pelos gestos o turbilhão da alma. Quanto ao cenário, ganharia forma no espírito da atenta plateia. Duas personagens, sem distinção de principal ou secundária, representariam a trama. Um homem, um barco. Que subisse o pano!

Olhou o mar, espelho sereno, gravando beijos de espuma, na sorridente praia. Zéfiro, companheiro de tantas viagens, dançava junto ao barco, convidando-o a entrar. Resistia! Fora navegador de todas as águas... marcara, em cada onda desse corpo de água, quilhas de esperança. E já nem se lembrava, porque perdera o norte, porque arrumara as velas cansadas. Olhou o barco. Um barco pronto a partir, ao sabor do destino, no bolinar do querer, sulcando vagas de sorte.

Entrou. Partiria de novo, sim. Amarrou, então, no mastro da vontade, o que restava do seu coração. Insuflou as velas com o vendaval do desejo. Cortou as amarras do cais onde vivera dias cinzentos. Recolheu a âncora do desânimo. Estava, finalmente, preparado para zarpar, em busca dessa ilha desconhecida...

No centro do palco, sob a luz quente de um foco branco, o actor despiria, finalmente, o traje de navegador. Assumiria, na pele nua, a sua condição de Poeta. Cruzaria oceanos de palavras, enfrentando tempestades metafóricas; beberia o sal dos líricos sentimentos, amainando os rebeldes versos; e aportaria, sem medo, nessa ilha feita poema... O mesmo poema que o barco, tranquilamente, traria para mim.

Uma peça só possível de encenar, num palco chamado Teatrices!


37 comentários:

Ari Mota disse...

Cara Poetisa

Seus escritos são lindos. parabéns

Whispers disse...

Querida Graça!

Um palco de palavras onde tudo é possível.
Na vida quantos trajos despimos, quantos cenários vivemos e quantos barcos deitamos ao mar?
num palco chamado Teatrices! em qual se chama vida.
Escreves bem, te ler é entrar em um palco de palavras lindas

Querida, desejo que tua semana seja maravilhosa
Mil beijos em teu lindo coração

sideny disse...

Linda foto.

Belas palavras.

beijinhos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom dia, Linda!
Peça e ensaio perfeitos, cuja marca é inigualável. Brilhante!
Beijos e Boa Terça,

Adolfo Payés disse...

WOW que bella esta carta que nos entregas con la poesía necesaria..

Un beso

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos de siempre..

Que disfrutes de una semana maravillosa..

Vivian disse...

...olá linda!

frente ao mar,
quantos 'ensaios' mentais
deixamos fluir nas vagas dos
sonhos?

adoro te ler, menina poeta
de além mar.

bjbj

Anónimo disse...

Oi, Linda!
Baralhei com todo mundo. Acordei toda baralhada. Já voltei ao "normal".
Obrigada pela visita,
Beijos e Boa Segunda :),
Renata

Everson Russo disse...

O mar sereno gravando beijos de espuma,,,,que lindo, que cena, que desenho na memoria, um lindo dia pra ti querida, e uma semana cheia de beijos do mar....beijos na alma.

Cadinho RoCo disse...

Por suas teatrices eis que busco mar aberto que possa então fazer com que do outro lado do oceano eu sinta o frescor de tão fêmea brisa vinda salvar-me de tão angustiante asfixia.
Cadinho RoCo

Pensador disse...

Uma peça encenada com Graça, nome bem adequado a quem escreve com tamanha suavidade e leveza.
Um grande beijo, e boa semana!

Pensador disse...

Uma peça encenada com Graça, nome bem adequado a quem escreve com tamanha suavidade e leveza.
Um grande beijo, e boa semana!

Spectrum disse...

Olá Graça, é óbvio que fiquei teu "cliente".
Deste palco maior que é o mundo, um beijo.

Lídia Borges disse...

Meravilhoso mar de metáforas...

"Insuflou as velas com o vendaval do desejo. Cortou as amarras do cais onde vivera dias cinzentos. Recolheu a âncora do desânimo. Estava, finalmente, preparado para zarpar, em busca dessa ilha desconhecida..."

Sublime!

Um beijo

Paulo disse...

Querida,

Tu escreves ensaios lindos, não sei que mais te dizer. Gostava de saber onde bebes a tua inspiração. Neste teu palco, cabem sim todas as peças, as tuas, poéticas sempre.

Beijo magnifico em ti, minha querida, se fosse barco podes crer que te levaria o poema que esperas :).


PJB

Mar Arável disse...

Soltei as amarras

saltei para o teu palco

marulhei

como e estivesse no mar

e estava

Vieira Calado disse...

... e as teatrices estão na cabeça de quem é capaz de imaginar com o espírito.

O seu texto é bom!

* *

Quanto ao dia 15... já foi...

Ainda não foi destas que nos podemos encontrar.

Estava lá muita gente da blogsfera e foi uma sessão muito agradável.

Só na última sexta feira me enviaram os livros.

Beijinhosss

. intemporal . disse...

. um homem ,,, um barco .

. "uma peça só possível de en.cenar, num palco chamado Teatrices!" ,

. o teu beijo de hoje, querida Graça .

. sem a.cenos .

Nilson Barcelli disse...

Querida Graça, mais um excelente ensaio.
Ainda que só possível de encenar no Teatrices...
Gostei muito, muito mesmo.
Beijos.

Régis Castro disse...

Minha querida, não sabes como tenho saudades de ti, ando escrevendo pouco, estou trabalhando muito tentando realizar os meus sonhos...

Uma amiga minha disse-me que sou um adulto com coração de criança. Ela esqueceu de dizer que sou a mais sonhadora das crianças!!!

Apesar de nos falarmos pouco, te amo minha querida Graça...

Sempre falo de você pros meus alunos e já li vários textos de seu blog, para eles, posso não ter tempo para comentá-los, para tenho para ler-los e leio, sempre!

Quero sua ajuda para realizar meu sonho.

Doroni Hilgenberg disse...

Graça,

Voltei!!!
Maravilhoso ensaio...

Se o teatro é o palco da vida, o mar é o palco do mundo, e nada melhor do que ele para nos
desnudar e trazer à tona lembranças e sentimentos diversos, que se transformam em palavras mágicas e belos textos.
bjs

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Boa Terça, Graça querida! (Acertei!)
Hoje pus os pés no chão
Consulta, ajustes, no momento tudo bem, peso igual, só cintura mais fina (dá para levar). Sinal livre para fazer tudo (de leve).
Por que não voltar aqui e apreciar este ensaio que não consigo comentar?
Apenas redizer:
É Lindo!
Beijos abraços e sorrisos, amiga
Até já,

▒▓█► JOTA ENE disse...

ººº
Oh moça... curtes mesmo teatro... gosto do que leio por aqui e amei a foto.

Bjosss ;)

margusta disse...

Querida Graça,

...Adoro ler os teus ensaios, escreves tão bem Graça...encantas, prendes o leitor até ao fim!

Dizes que te identificas com os meus poemas, também eu algumas vezes me "encontro" dentro dos teus ensaios...da plateia, em que assisto, consigo ver-me no palco, ser parte dos personagens...
.
.
.
"Uma peça só possível de encenar, num palco chamado Teatrices!"

Será?

Este ensaio surge tão real aos meus olhos...o actor que despe o traje de navegador e assume o papel de Poeta, parece-me tão familiar...e um barco que durante anos aportou no meu cais tranquilamente...cheio de poemas!

Que nasça o poema!


Querida Graça, obrigada pelos elogios que deixas sempre ás minhas fotos :)...Este fim de semana por acidente , perdi todas as fotos que fiz em 2009 (só posso recuperar as que enviei a amigos)...umas largas centenas, fotos que faço diariamente quando vou á praia de manhã e á tarde ...tinha tantas das gaivotas :( também perdi as das férias que fiz no campo e outros lugares que visitei, fiquei muito aborrecida, mas agora nada a fazer ...


Querida Graça podes sim usar aqui uma pintura minha, será uma honra para mim , poder estar aqui no teu Maravilhoso "Teatrices".


É possível que esteja ausente uns dias... o cinza tomou conta dos meus dias, preciso reencontrar o equilíbrio.... mas passarei para te espreitar.

Deixo-te um beijo enorme cheio de carinho,
Margusta

margusta disse...

Obrigada Graça!

Abraço com Emoção!

Pedro disse...

Muito interessante este blog.
Parabens...

Já agora visita www.diariosemtabaco.blogspot.com
O meu dia a dia sem tabaco.

Carlos Gonçalves disse...

'... partir,
cortou as amarras onde vivera dias cinzentos.
Cruzaria oceanos...
Aportaria,
... ilha feita poema.
O mesmo poema que o barco traria para mim.'

Mais palavras, para quê!
Magnifico o texto, como sempre.

Um beijo, Graça.

Carlos

lupussignatus disse...

a odisseia

do

actor


[e.terno
navegador]


*beijo*

Emilia disse...

Cortar as amarras com o Espaço e o Tempo de Ser só porque sim e SER simples e inteiramente a Verdade de Ser: é um acto de grande maturidade e sabedoria que poucos são capazes de concretizar.

Beijo desamarrado.

Emília

Maria Emília disse...

Que belo, Graça, realmente é mesmo bom ler-te. Nada é impossível, minha amiga.
Um grande beijinho,
Maria Emília

rouxinol de Bernardim disse...

Se isto é uma «amostra» imagino como será o «universo»!!!
Promete!!!

Inês disse...

Ah, que delícia esse palco aqui que se materializa em algum lugar dentro da gente!
Parabéns por seu espaço, e por este post com cheiro de mar...
E obrigada pela visita!

São disse...

Quando publicares estes teus textos em livro, eu quero um...autografado e com dedicatória!

Um abraço grande, zogia.

Brancamar disse...

Olá Gracinha,

Li-te por estes dias e reli mais uma vez e neste ensaio pouco teatral fiquei sem fôlego para comentar...os mistérios da alma.
Ensaios insondáveis, criativos e de múltiplas e subjectivas interpretações, como se quer na arte de criar, passe a redundância, dado que na arte já está implícita a criação.

Deixo-te beijinhos.
Branca

São disse...

Tens uma hortense para colocares aqui, na lapela do blogue...se me deres o gosto de a ires buscar.

Obrigada e uma serena noite, Gracinha.

isabel mendes ferreira disse...

tão belo Graça.


tudo.


sendo que a luz quente da fto se casa com o foco das palavras.


.

obrigada. muito.

sideny disse...

Desejo/lhe um bom fim de semana.

Um beijinho

Carlos Gonçalves disse...

Graça, uma noite feliz, num palco cheio de estrelas e um amanhã de esperança e felicidade.

Um doce beijo para ti.

Carlos