Pelas horas...

[Graça]


Sou pelas horas...

que se despem do trinar monótono, na repetição dos dias... que tecem caminhos indeterminados, no vagar que não cansa... que se divertem no amalgamar de sóis e luas, sem poentes minguantes... que respiram o silêncio telúrico entre serras paradas... que rasgam ondas de sal no abrigo das enseadas... que alimentam o calor das mãos presas no brilho de um olhar... que sorriem na recusa da contagem.

Sou pelas horas... que se gastam em mim.

28 comentários:

Lídia Borges disse...

Que bom, Graça!
Que bom, este intervalo do intervalo.
Permitiu-me ler mais um magnífico texto. A transbordar serenidade pelas horas postas em descanso "no vagar que não cansa"

Um beijo
Continuação de boas férias!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Acho que acabo de "vir a ser"...
Obrigada, amiga, beijos, beijos,
Renata

Sunshine disse...

Que essas horas se gastem com deleite ... saborosamente.

Que o sol, o sal, o luar e os sons que te envolvem te proporcionem o melhor dos intervalos.

Boas férias Graça.

Mts beijinhos :)

Paulo disse...

E eu sou pelos minutos que gastas a dar sinais de ti :). Conheço aquele relógio!


Minha querida, bons dias para ti, sem o contar das horas. e já agora boas noites também!

Beijos do teu Paulo.

Braulio Pereira disse...

que lindo texto..
bordado com fio de ouro....

é uma delicia leer-te..

boas ferias se feliz


beijos...

Paola disse...

Sejamos pela serenidade das horas... pelo bailar do tempo... nosso par nesta valsa com ritmos compassados.
Sejamos por estas horas com tempo na ausência de relógios...

Beijo. Abraçado. Assim

Carlos Gonçalves disse...

Graça, as horas são a vida, nunca andam para trás.
Já gastei muitas horas - não sei quantas me restam -, mas quero vivê-las todas com a mesma paixão da primeira hora.
Uma coisa te digo, tenho pena das horas que gastei na ânsia de chegar depressa aos fins-de-semana, aos fins do meses, penso que estas horas me vão fazer muita falta na hora da partida.
Adoro ouvir as horas no relógio das Trindades, no silêncio da serra da minha terra.
Magistral, valeu a pena esperar por ti!

Um beijo.

Carlos Gonçalves

f@ disse...

Olá Graça,
Não quero de m o r a r que as horas v o a m…
Têm a s a s todos os meus relógios …
Olho o mostra d o r e quantas vezes fal(t)am os ponteiros…
Ou é de m!m ou dos meus olhos…
Esgotados de ter de olhar os pulsos cada manhã ao a © o r d a r com o trim trim…

!menso beijinho

Vivian disse...

...tão bom quando as horas
que se nos apresentam podem
virar poemas de encantamento,
assim como fizestes aqui...

vc é linda!

bjus, querida!

Whispers disse...

Ola Querida Graca!

Vida eh feita em momentos, em horas, em segundos em minutos
Lindo como sempre
Desejo que tenhas uma feliz semana
beijinhos com carinho
Rachel

Régis Castro disse...

Devo desejar-te boas férias minha querida...

E que a doce melodia dos tic-tacs do relógios não se desgastem em si... e que cada dia que se passe seja mais uma pessoa tão maravilhosa, como és!

Boas Férias!!!

A Magia da Noite disse...

o tempo será sempre um fascínio da humanidade, saber voar sobre ele, conhecer-lhe as travessas e ruas por onde cruzar dimensões é apenas um desafio de poucos.

Marta disse...

Em pleno....Que se tornem completas...
Sejam felizes....
Lindo....
Obrigada pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

Sou mais pelo tempo sem horas, sem marcas compassadas, agrilhoadas, pelo TEMPO sem tempo que se vive sem remorsos ou sentires desperdiçados, que se sonha todos os dias (inexorável e omnipresente unidade de tempo sem
antropomorfismos).
Vivê-lo com sabedoria como tu, é mestria de poucos. Também, poucos são como tu!

Beijo, no intervalo de outros arrumos, sem TEMPO.

Emília

Anónimo disse...

Sou mais pelo tempo sem horas, sem marcas compassadas, agrilhoadas, pelo TEMPO sem tempo que se vive sem remorsos ou sentires desperdiçados, que se sonha todos os dias (inexorável e omnipresente unidade de tempo sem
antropomorfismos).
Vivê-lo com sabedoria como tu, é mestria de poucos. Também, poucos são como tu!

Beijo, no intervalo de outros arrumos, sem TEMPO.

Emília

Anónimo disse...

Sou mais pelo tempo sem horas, sem marcas compassadas, agrilhoadas, pelo TEMPO sem tempo que se vive sem remorsos ou sentires desperdiçados, que se sonha todos os dias (inexorável e omnipresente unidade de tempo sem
antropomorfismos).
Vivê-lo com sabedoria como tu, é mestria de poucos. Também, poucos são como tu!

Beijo, no intervalo de outros arrumos, sem TEMPO.

Emília

Nilson Barcelli disse...

Eu também gosto das horas sem relógio.
Belo texto querida Graça, como sempre...
Continuação de boas férias.
Um beijo, a toda a hora que em ti se vai gastando...

Pensador disse...

As melhores horas são aquelas
Que não vemos passar
Porque estamos muito ocupados
Entretidos em nos amar.

Te amo!

Beijos carinhosos!

Everson Russo disse...

Belissimas horas que nos levam o tempo e nos fazem sonhar...beijos querida e uma linda semana...

Brancamar disse...

E como eu conheço estas horas, as metafóricas e as desta torre, estou mesmo junto dela, quase por baixo, hihi!
Eu também adoro as horas de que falas, as do "vagar que não cansa", e as do "silêncio telúrico entre serras paradas...", hoje andei por lá Gracinha, pela tua serra, mas as horas que gosto mais, mais, são aquelas "que alimentam o calor das mãos presas no brilho de um olhar... que sorriem na recusa da contagem."
Adoro perder-me pelos olhares dos outros, dos amigos como tu...de os trespassar até à alma e de outros olhares que sempre esperamos que nos preencham a vida, :)
Beijinhos de amizade.
Branca

Babi M.S. disse...

tempo
tem pouco
tem
po

Babi M.S. disse...

"JE N’AI PAS LE TEMPS


J’ai tout le temps
Du monde,
Dit-on.

E, pourtant,
Je n’ai pas le temps
D’avoir
Le
Temps."



"Eu não tenho tempo


Tenho todo o tempo
O mundo
Dito.

E, no entanto,
Não tenho tempo
Para ter
O
Tempo."


Violeta Teixeira

Princesa disse...

"O carinho edifica alicerces da casa,

a fim de que, mais tarde,

as provas necessárias da vida

possam chegar."

um beijo

A.S. disse...

Algumas horas da vida
são apenas ilusão
de tantos sonhos que passam
como bolas de sabão.
Ninguém as pode alcançar,
fogem em bando, esvoaçam
acabam por rebentar...


Beijos... Graça!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Beijinhos, Graça, querida! Espero que esteja bem. Vou indo, cada vez melhor.
Saudades...

Marta disse...

Olá,obrigada pela visita...
Ainda não resolvi se haverá um terceiro....
Beijos e abraços
Marta

mixtu disse...

as horas que passam
tempo com os seus tempos

que sorriem... que se gastam em nós e que nos fazem gastar...

num viver, onde o tempo do futuro, se bem medido... tem o tamanho da vida...

abrazo serrano y europeo

Deusa Odoyá disse...

Olá minha estimada amiga Graça.
È nesse tempo, hora e o silêncio que podemos ouvir o interior de nossa alma.
Lindo texto.
Parabéns...
Uma semana abençoada para vc. Muitas glórias e paz.
Beijinhos doces de sua amiga.
Regina Coeli.