Num intervalo [dos opostos]...

[Paola]

Embrulhei o meu querer desavindo, na espuma insurgente do deserto.
.
Conciliei, por entre ondas de areia ardente, um desejo contraditório.
.
Fixei as raízes do meu sentir numa duna espelhada a sal.
.
E, finalmente, na aceitação dos opostos, serenei o meu amor.


[Luís]

17 comentários:

Vivian disse...

...quando conseguimos serenar
o amor,
é chegada a hora de aposentar
a paixão, esta que escraviza,
cega, judia, e nos deixa
no chão.

você é uma lindaaaa!

adoro vir aqui 'memocionar'..rss

muahhhhhhh

MCampos disse...

Duas belas fotografias a ilustrar o seu intervalo! Aceitar, metaforicamente creio, o mar e deserto serenou o seu coração. Muito bonito, como tudo o que escreve. "a espuma insurgente do deserto" é exempplo dessa beleza de escrita.

Bem haja. Um abraço.

A Magia da Noite disse...

A calma e a paz fazem-nos amadurecer, olhar de forma diferente para aquele mar revolto que atrás deixamos. Por vezes o silêncio, o mar tranquilo, acalenta-nos os coração e deixa-nos acordados para uma nova ilusão.

filipa disse...

Que bonita a forma como serenaste com os cinco sentidos na Terra.

Maior beijo

Paulo disse...

"

na aceitação dos opostos

"

o teu "serenar"

auto.retrato ou bio.grafia

.inata.latente.

o teu beijo de bom dia, Graça.

Paulo disse...

Que bem que lidas com as diferenças, minha querida. Um querer desavindo, um desejo contraditório, que acaba por serenar. As fotos são um luxo :).


Um beijo grande, querida Graça


PJB

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

É lindo, Graça, de um puríssimo lirismo.
Não há mais nada a dizer. Tudo está dito.
Beijos,
Renata

Paola disse...

Serenei, também... nesta doce tempestade de areias...

Beijo. Abraçado. Assim...

Brancamar disse...

Querida Graça,

Lindo o que me deixaste de Cesariny.
Já por cá tinha vindo banhar-me nestas ondas, tarde, muito tarde e por hoje voltaram algumas vezes a acompanhar o meu trabalho, mas é na serenidade da noite que aplaudo a tua aceitação dos opostos.
Um beijo de boa noite Graça e continua a dar-nos a graça das tuas profundas interiorizações...

A.S. disse...

Graça...

Eu entrego-me ao vago e indefinivel vagar da luz que ás vezes brilha no silêncio de um abandono...
Tu,giras sobre a tua própria luz, quando o corpo se entrega sobre as ondas da areia ardente, serenando o amor na espuma insurgente do deserto...
como é fascinante tudo aquilo que elimina todos os conceitos!...



Beijos carinhosos

f@ disse...

Olá Graça,

a Graça serena deste intervalo de sonho....

...

imenso beijinho de boa noite

Nilson Barcelli disse...

Conciliar o mar e o deserto não é fácil...
Belíssimas fotos.
Querida Graça, um excelente fim de semana.
Beijo meu.

Whispers disse...

Querida Graca!
Que lindas palavras....e a foto nao podia deixar de ser maravilhosa.
Sao conjuntos de emocoes que sai do teu coracao.
Desejo-te minha amiga que tenhas um fim de semana maravilhoso
beijinhos no teu lindo coracao
Rachel

lili laranjo disse...

LINDO o que li...
No teatro da vida sento-me e deixo...


++++++++


Tétis

é isso o nosso chão nunca é nosso por isso temos que ter muito cuidado e saber onde pisamos...

para ti minha amiga

um beijo


+++++++++++++++

OLHOS CLAROS


Olhos...
Claros...
E grandes...
tudo vêm...
tudo olham...
E são...
O que ás vezes...
Não dá jeito nenhum...
Porque...
Ao olhar...
Acabam por falar...
E dizem...
o que eu quero calar!...



Lili Laranjo

MEU DOCE AMOR disse...

Serena...

Beijnho doce

http://projectoamizade.blogspot.com/

sérgio figueiredo disse...

O serenar com a beleza das "ondas do deserto" e a "aceitação dos opostos".

Magnificas palavras onde o sentir
poético culmina com o colorido das
bonitas fotos.

Sempre Tu...

bj...nho

Lídia Borges disse...

Que "coisas" lindas tens escrito!
Estava ansiosa por ler-te. Valeu a pena a espera!
O mar e o deserto!
A frente e o verso, o direito e o avesso...
Tantas vezes temos de os fazer rimar!

Um beijo