Ensaio por um poema...

[Graça]


Por vezes, dava-me jeito as mãos de um poeta. Mãos calejadas da lavra, nos terrenos inóspitos da língua. Mãos desses seres admiráveis, que plantam árvores de sentires, onde se colhem palavras-frutos, recusando peias de gramática.

Por vezes, gostava de ter o olhar de um poeta. Olhar fulgente da ilógica das emoções. Olhar translúcido na métrica desmedida, que ressuma, a cada sílaba, a visão de um mundo inverso.

Por vezes, precisava do saber-dizer de um poeta....

...quando sinto que o mar, fugidio e teimoso, insiste em esconder o cais, onde eu sempre quis aportar... quando me gasto em ondas de palavras que nenhuma rocha compreende... quando, no adensar das nuvens, tento vislumbrar um farol de entendimento... quando o vento, disfarçado de doce zéfiro, me sopra imperativos adversos ["que se rasgue o sonho!"].

Se hoje, por um mero acaso, tivesse acordado poeta, não rasgaria o meu sonho... ele seria somente um poema a navegar em mim.

32 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Graça, querida:
Quando é que vc vai admitir que é poeta/poestisa? O que vc escreve é pura poesia, mulher. Só vc que não sabe disso.
Olha, publiquei no GALERIA, porque o outro post tinha sido feito para aquele (lembra do mail?), estava voduzado, então fiz outro. Vou publicar, se der, pois caio de sono, no MORRO.
Bom, é isso.
E vc é uma grande poetisa de quem eu tenho a honra de ser amiga.
Um beijo,
Renata

Whispers disse...

Querida Graça!

Em cada teatro que abres, aqui,em cada das tuas palavra que me banho,São das palavras mais lindas da poesia que saem em lava de sentimentos,lava que brota do teu coração, e as escreves com as pontas dos teus dedos.
Existem tantos a se dizerem poetas,mas a verdadeira poesia,vem de dentro do coração,e tu linda,Graça,em tudo que escreves tem uma magia,magia que encanta quem te lê.
Sim,és poeta,és poetisa do teu palco,do palco em que esta sempre ocupado, e quando as cortinas São corridas,se pode ouvir bem alto os aplausos.
Um beijo com carinho e um feliz Domingo
Rachel

Jorge Vieira Cardoso disse...

tenho a certeza que hoje acordaste com alma de poeta, não fosse a expressão maior que te faz: palco corrido das palavras em acrescento!

abra-se o pano ao nosso encontro!

beijo terno...

Paulo disse...

Bom dia, poetisa. Cada ensaio teu, ou cada intervalo, é um poema que representas neste teu/nosso palco. Gosto do que fazes ao teu sentimento, quando o disfarças de palavras que tão bem dominas. És mão, olhar, dizer de poeta, mesmo que digas o contrário.

Minha querida Graça, um bom domingo.

Beijo de quem te admira.

PJB

A.S. disse...

Se nos olhos te beijarem esta noite,
se estremeceres com um doce suspirar,
e se por inusitado instante,
no teu peito ardente e ofegante
não te adormecer esse desejo,
se sentires nos lábios o sabor de um beijo,
é porque algum poema
navega no rio do teu corpo.
Em caminhos nunca imaginados,
segredos nunca desvendados,
sonhos de ternura e fantasia.
E se também tu vais na viagem,
plena de amor e de coragem,
a noite desabrocha em poesia.


Beijos meus...
AL

f@ disse...

Olá Graça,

Mais que ensaio…

Tu acordas o sonho….
A ©or das e adormeces poeta…
Todos os dias deixas o sonho viajar no teu imenso mar ondulado… quase tocar as nuvens…
resto de bom domingo se sonho cor de ®osa…


Imenso beijinho

Isabel disse...

o fim é excelente.....o fim do seu texto.




lúcido e lírico.

belo.



beijo.



(piano)

Braulio Pereira disse...

as tuas letras..

me inundam de alegria
vim aqui.. vi o teu mar.

e nele vou navegar..


um beijo

Paola disse...

...escutando, em silêncio, o canto das tuas palavras... reafirmo o quanto gosto de te ouvir... canta... canta... sem te importares com o

Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

Cecília Meireles

Beijo. Abraçado. Assim

MCampos disse...

O poema navegou em si, e nem creio que fosse por mero acaso. Disse o seu poema de uma forma tão bela e simples, um poema que recusa rasgar o sonho, de amar talvez esse mar fugidio. Eu gostei tanto, mas já é hábito gostar de me sentar nesta sua plateia. Dos poucos blogs que visito, este vale sempre a pena. Até os comentários que lhe deixam valem a pena ler. Obrigada por tudo isso.

Um abraço e boa semana.

(talvez um dia ganhe a coragem de abrir o meu, obrigada, e sim, é de AC.)

São disse...

Precisavas de um poeta?!

Para que precisa quem transborda poesia de um outro poeta?!

Abraço, linda.

Vivian disse...

...vive o poeta
dentro de tí.
és poesia...
pura poesia.

alimente-o, e assim
ancantamos nós.

beijo grande, querida linda!

lili laranjo disse...

Sento-me ao pé de ti e deixo...


Presença ausente

Estou aqui sentada
Lápis entre os dedos.
Um copo de martini ao pé de mim
Bebo um golo e deixo-me pensar…

O lápis corre vagarosamente o papel
O meu pensamento voa…
Como sempre – olho o universo…
Mas não consigo deixar de pensar em ti…

Queria ter-te aqui…queria estar contigo.
E saborearmos o ar livre…
Vagarosamente ponho o copo nos lábios…
Bebo o martini como um ritual… e continuo a sonhar…


Lili Laranjo

Brancamar disse...

Querida Graça,

Só uma dôr aguda e incomodativa no braço direito, que acabou por passar há pouco com um comprimido, não me deixou vir mais cedo comentar este texto.
Magnífico como sempre e demonstrativo de que acordas poeta todos os dias...de outra forma o que poderemos encontrar nesta mensagem senão um mar de metáforas poéticas?
Obrigada por tudo o que de belo nos deixas nas entrelinhas e que os sonhos sempre naveguem em ti, com a loucura de uma alma de poeta.
Tem uma boa semana.
Beijos

Anónimo disse...

És POETA, sim. Não de versos rimados (não se identificam contigo) mas de texto. Se escrito pelos teus "lindinhos", chamar-lhe-ias POEMA. Direi que os teus são poemas metamorfoseados da realidade que não queres fugidia.
És "POETA não-FINGIDOR", mas sim, és POETA.

Bj
Emília

preto [e] branco disse...

Mais do que as palavras que ofereces, nada precisas para não teres dúvidas, da poesia que escreves e a poetisa que és. Olha bem este teu post, lê com amor todas estas palavras e a sua união e diz-me, se tiveres coragem, que ele não é poesia.
não precisas do "saber-dizer de um poeta...".
Tens o saber das palavras e sentimentos.

bj...nho

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Graça querida:
Hj é DIA DO AMIGO. Há um post comemorativo no AMOR. Gostaria que vc fosse lá.
Beijo,
Renata

Babi M.S. disse...

Graça que coisa mais linda você escreveu, descreveu, criou, "ensaiou", fico tocada com tais palavras.
Sabe era o que eu prescisava hoje, o olhar de um poeta, mas os olhos de suas palavras ja me curaram! Obrigada!

Smack!!!

O Profeta disse...

Este mar de fresco azul
Estas pedras sentinelas constantes
Estas ondas que adormecem nelas
Vieram do mundo em formas navegantes

O amargo das uvas verdes
Cede ao sorriso do astro rei
O doce invade os sentidos
E a ternura impõe a sua lei


Boa semana


Mágico beijo

Brancamar disse...

Que mar, querida Graça!
Vim reler o teu texto poético, tão poético!
E levo o mar na minha alma, este mar que é sempre diferente e que trago sempre comigo...!
Beijinho de muita amizade.

Nilson Barcelli disse...

Tens mãos e sentir de poeta. Aqui, não fazes outra coisa para além de plantar árvores de sentires. Tens o olhar, sabes dizer... resumindo, tu escreves verdadeira poesia. Só não lhe dás essa forma por timidez... muito embora eu não te ache tímida... por isso, serás apenas literariamente tímida... ou então será ainda por uma outra razão: vês "demasiado" bem a poesia.
Querida Graça, tens a poesia no olhar. Isso basta-te. Escreve... que vamos gostar. Não tenho dúvidas. Ou será preciso rezar-te...?
Beijo.

Sunshine disse...

Olá Graça!!

É sempre um prazer ler-te e sentir a intensidade das tuas palavras ...sentir a poesia navegar nas tuas palavras.

Perdoa a ausência ... rasguei todos os sonhos e lancei os pedacinhos ao vento ....

Beijo carinhoso, obrigado pela tua presença.

PS: Essa foto faz-me lembrar a mar em Moledo.

filipa disse...

Não é preciso dizer-te que HOJE, acordaste poeta.
Lindíssimo o que escreves.


Beijo*

~~jorge disse...

Verbum caro factum est, Gratia...

Sim, claro, pode ser que se leia o seu ensaio como um anseio por um poema "apenas". Porém: desejar, esperar a poesia, não será já poesia?

Fique bem.
~~jorge

~~jorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~~jorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~~jorge disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~~jorge disse...

Graça,
Desculpe a proliferação de comentários meus iguais, de que eliminei os excedentários...
~~j

Sofá Amarelo disse...

Acho que não precisas de um poeta... acabas e poemar... és poeta... e quando se é poeta só se precisa de outro para cumplicizar...

Há dois beijos especiais no meu blog para ver... beijokas!!!

Mar Arável disse...

Belo poema o teu

"a navegar em mim"

Bjs

Paulo disse...

a poesia é a decomposição dos sentidos na metáfora de um verso a ser estrofe incandescente.

o teu beijo de bom dia, Graça.

Marta disse...

Os sonhos são retratos; contam histórias; mergulham em nós...
Descreve esse teu sonho...
Beijos e abraços
Marta