Um ensaio feliz...

[Graça]


Tecem-se tramas de vida, em liços de alegria. O pente, na urgência do vaivém, desfaz os nós dos dias. E há um pedal, teimoso no seu laborar, urdindo peças felizes.

18 comentários:

Paola disse...

Lembrei-me, amiga, de Penélope. Aquela que tecia de dia, mas de noite desmanchava... e a trama urdia... até à felicidade final... Assim somos... assim vivemos... nesta construção urdida... a "desfazer os nós dos dias"...

Beijo abraçado.

Whispers disse...

Querida Graça!

No teatro da vida se tece uma colcha de fios,uns alegres,outros tristes,mas juntos fazem uma peca que se chama a ''NOSSA VIDA'',

Alguns fios São tão coloridos que se podem ver distantes,outros São tão escuros,mas todos eles São um conjunto,e uns sem os outros não fazem sentido

Bonito teu post,me fez outra vez pensar,mas pensar em bom sentido

Um beijo muito grande com carinho,minha linda!
Rachel

Vivian disse...

...vejo a vida como uma
imensa colcha multitons.

alguns pedaços mais vivos.
outros nem tanto,
mas no finalizar da tela,
a harmonia das tramas
bem enlaçadas, dá-lhe
um lindo toque final...

bj, querida!

Carlo Rochas disse...

Querida amiga,

É sempre agradável e um prazer, Graça, passar por aqui e ficar confundido com as fotografias, o tecelão muito idêntico aos que eram usados pelas “minhas” terras antes de aparecerem as fabricas de lanifícios, tudo extinguido, sobram apenas rastos, algo que comparo ao queijo da serra, feito sem, ou com poucas ovelhas, o que sempre achei algo de misterioso. As mostras são inconfundíveis. Que esta continuidade de vida, te traga uma quantidade sem fim de peças felizes, tenho a certeza de que o fará e o faz… bem, sabes que nesse aspecto sou sempre de duvidar, de tão consternado que consigo ser. Neste final de ano lectivo, imagino que seja momento para respirares e encontrares de novo outros caminhos… temos que marcar nem que seja uma tarde para falarmos dos mesmos. Um beijo para ti, e excelente continuação de dia. Não esqueças, pois eu sou tão distraído.

isabel mendes ferreira disse...

e a felicidade é o melhor de um nó...
que se cruza teimoso no pó dos dias.

que seja sempre alegria a lição deste Teatro de emoções.


bom dia GRaça.

Um beijo.

Lídia Borges disse...

Que lindo, Graça!
O tear da vida a tecer alegrias.A falta que ele faz...


Um beijo

Marta disse...

E isso que precisamos - ser felizes...
Obrigada...
Beijos e abraços
Marta

Paulo disse...

Minha querida,

Ver um tear aqui :), quase que aposto onde o fotografaste! Sejamos felizes, Graça, sempre, mesmo que seja necessário desfazer nós aos dias. Pelas tuas palavras, sei-te feliz. Beijo grande.


PJB

A.S. disse...

Graça...

Fios de inconstantes cores
que sem parar vão tecendo
nuas tramas de desejo,
urdindo os mais belos sonhos,
criando o mais doce beijo!


Beijos meus...

lili laranjo disse...

Graça
obrigada pelo carinho..
estou a segurar a barra ...
vai correr tudo bem...
beijos


Escondo-me



Estou aqui escondida
Escondida e com a porta fechada
Mesmo que sinta os teus passos…
Mesmo que sinta bater devagar ou com força
Vou continuar na mesma escondida…
E mesmo que sinta a vontade forte
De abrir a porta…
Continuo igual ao ontem
E continuo aqui escondida…
E fico a esperar que um dia…
…Sinta o teu bater…
Com força mas com a certeza…
Que o bater é mesmo bater…




Lili Laranjo

Brancamar disse...

Olá Graça,

Que lindo tear e que linda colcha tecida vejo lá ao fundo! Tal como um amigo teu aqui atràs acho que adivinho onde fizeste esta bela fotografia e acho que adivinho também que desfazes fácilmente os nós dos dias...duvido até que chegues a fazer nós, na tua imensa sabedoria talvez apenas laços... :)
Estou contagiada por este Ensaio Feliz...
Beijinhos urdidos no tear da amizade.
Branca

preto [e] branco disse...

As tuas palavras mostram Alegria, "nós" que se desfazem.

Agora...esta foto, é prazer, é nascer, saudade, beleza, riqueza num fazer e ver crescer.

Parabéns

bj...nho

f@ disse...

Graça dos tecidos de fios finos entrelaçados na luz urgent…

B®ilha a teia aos primeiros a © o r d e s desta música para enfeitar o pano de gotas e s o r ® i s o s

Imenso beijinho

Jorge Vieira Cardoso disse...

sempre nas palavras a imersão dos sentidos presentes comuns, num tear de sons oiço clamando o tempo que não enjeita frases!

Beijo terno...

mariabesuga disse...

ah... e a vida continua
um dia, outro depois
e quando damos por isso
de um já passaram dois.

mariabesuga disse...

tecem-se os dias assim
fio a fio todas as cores
passo a passo no sossego
nascem, passam os amores.

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui em visita ao seu blog e aprender um pouco com você!!Abraços Ademar!!

lupussignatus disse...

entre
laçar

o

quoti
dia
no



beijo.