No intervalo [persistente]

(foto de GMV)

Ainda que as palavras fossem pequenos batéis, à deriva, sem arrais...

... e os pensamentos bolinassem num mar de razões naufragadas...

... não desistiria de fundear nesse cais.

18 comentários:

João52 disse...

adorei a foto muitos parabens ...

beijos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gostei muito, Graça. Você escreve muito bem e profundamente.
Beijos,
Renata

ângela marques disse...

tivera eu assim um cais...


bom fim de semana e um beijo, Graça

Paulo disse...

Que dizer dos teus intervalos, sempre tão diferentes dos ensaios. Aqui nunca dizes, sugeres, e isso é muito interessante, para eu ficar a pensar.:)))

Bjos e bom fim de semama

PJB

Paulo - Intemporal disse...

_________________________________

querida Graça "minha"

_________________________________

fantástica a música que serpenteia este teu cais onde sou âncora apenas

e insisto. nunca desisto.

deixo-TE o tal beijo, aquele que nos une em celebração derradeira e plausível, à passagem do vento sobre os dias assim...

[um bom fim de semana]

Emilia disse...

Finalmente tenho espaço e tempo para estar aqui e ler-te. Naufragar é decididamente uma aventura que anseia pelo cais do deslumbramento. Aventurar-me pelo teu blog é também soltar arrais e ora sorrir, ora quedar-me em reflexão e introspecção sempre alumiada por esse teus olhos do C£§£€&%, mesmo que intimidantes para os temerários da Língua... Tão fundmental esta para a compreensão da Ciência que o teu "lindinho futuro cientista" terá, um dia, de agradecer-te o contributo e recordar-te o olhar.
Beijo
Bom Fim de Semana
Emília

Paola disse...

... pois não... eu sei que não...

Beijo abraçado

preto [e] branco disse...

Um cais que pela deliciosa fotografia, acompanhada das soberbas palavras, me fariam, também, ignorar as "razões naufragadas" e aportar.

Mais uma vez a capacidade de gerires as palavras e deixares beleza de pensamento.

bj...nho

isabel mendes ferreira disse...

só posso "fundear-me" no cais onde in.serenam as palavras.


que nunca se afogam. antes AFAGAM.



beijo.

Brancamar disse...

Eu também não Graça e acho bem que não desistas, para nosso agrado, para que nos enchas a alma de belas palavras e pensamentos profundos, como esse belo mar que fotografaste.
Beijo de muita amizade.
Gosto tanto de te ler.
Amiga para sempre.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça:
No Galeria, resenhei Morte em Veneza e apresento as pinturas de Ivan Vassilev. Espero por você.
Um abraço,
Renata

Nilson Barcelli disse...

A determinação não encalha em baixios sem relevo...
Bela foto, também gostei.
Boa semana, beijo.

f@ disse...

Deixei-te para o intervalo porque os intervalos são doces...
e porque tanto as pa l a v r a s divagaram no meu mar de nuvens e se misturaram com a espuma das ondas...
aqui a espuma afunda-se para ver o fundo e os seus en c a n t o s...

beijinhos

o que me vier à real gana disse...

Olá, GMV!

Mais um talento teu...

A este pitoresco, mais do que isso!, cais, só poderão aceder naves pilotadas por capitães maiores (refuto kk analogia com capitão-mor!)... tu, os teus pares!

Excelentes reuniões!

Bj

Sunshine disse...

Ainda que o mar estivesse calmo ... quero sempre amarar no meu cais (no meu porto seguro)...

Lindo Graça ... lindoooo

Bjinhos

Paulo - Intemporal disse...

___________________ no intervalo persistente

tu aqui

e agora ali

venho buscar-te pela mão

vem comigo intemporalmente, ao intemporal que também é teu

espero-TE pensativo

e saio __________________________ .

um beijo de boa noite querida Graça

[amo esta música. que seja permanência aqui.]

Babi M.S. disse...

Jamais desistir deste cais!
lindolindo!!

Tchi disse...

Há cais que abrigam.