Ensaio pelos sentimentos...

(foto de Luís)


Era uma miúda de olhos claros e brilhantes. Desses que se alimentam do espanto da vida. Desses que anseiam viver experiências ao sabor do arco-íris. Bebia todos os ensinamentos, com a sede inocente de quem vê sempre oásis num desértico caminhar.

Gostava de brincar com as palavras. Vê-las nascer no papel branco, numa dança que, primeiro, se revelava rudimentar e, depois, ia ganhando os gestos delicados de uma qualquer valsa.

Um dia, foi-lhe pedido que escrevesse um poema sobre os sentimentos. Assombrou-se com o solicitado. O papel ganhou a dimensão infinita de um céu negro sem o ponteado de estrelas. A sua mão resistia, numa luta invisível, a pegar na caneta. Os seus olhos claros e brilhantes suplicavam uma mudança de tema. No entanto, a sua consciência sussurrava-lhe que teria de o fazer. Mergulhou, então, nesse mar revolto de inspiração, dos seus dias vivenciados em maré baixa, e escreveu... escreveu sem parar um só segundo, numa exaltação de raiva contida... quebrando grilhões a cada palavra.

Sabia que, de seguida, tinha de o ler para ser comentado. Era sempre assim. A partilha era também aprendizagem. Levantou-se, quando chegou a sua vez, abriu a sua voz meiga e suspirou: "Abri o baú da vida...". E foi lendo, numa mágoa orgulhosa, num crescendo de tom que prendia as lágrimas expectantes... quase no final martelou cada palavra: "Mas os sentimentos,/Esses voaram com o vento/E juraram nunca mais voltar!/ Fechei o baú,/Indelicadamente/E tranquei-o com a chave do sentir/Para sempre!".

Voltou ao seu lugar e esperou o comentário, que não chegou a existir... [afinal, como comentar sentimentos?]

17 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Realmente, como comentar sentimentos? E se ela os quis trancar, é preciso respeitar o seu desejo.
Gostei muito deste post, Graça, acho que foi um dos que mais gostei.
Beijos,

Paulo disse...

Gostei muito deste teu ensaio, até porque me deixou na dúvida se aquela miúda não podias ser tu. será? ou então uma das tuas lindinhas. Não interessa, não se comentam mesmo sentimentos.

Beijo, querida Graça

PJB

José Carlos Brandão disse...

Lindo. Li o começo com fervor; o final, com dor. A miúda, tu?, tão poética. Depois vai aprender a vida - que é aprender a dor. Errei? Não importa. Escrevo o que senti.

Beijo.

preto [e] branco disse...

Coincidência...
olhos brilhantes...como os teus.

Comentar sentimentos? Impossível.
Eles apenas pertencem a quem os expressa, neste caso, o teu post, por palavras.
A nós, só nos é dado o prazer de ler e, também os sentir mas... apenas pela forma como estão escritos. As palavras, neste teu post, referem-se a "uma miúda" de olhos brilhantes, coincidência...reafirmo, como os teus, que se expressa, lindamente, poéticamente e revela a "mágua" que reside no seu coração. Sentimento de um passado ainda, recordado, como vivido.

bj...nho

Paulo - Intemporal disse...

_________________ querida Graça,

os sentimentos são in.comentáveis na passagem dos dias assim [...]

e ontem e hoje e amanhã a efemeridade de tantos sentires será sempre um sopro, ou uma brisa apenas [...]

deixo-TE um beijo ímpar, sentido há muito com a constância da intensidade plausível.

O Profeta disse...

Gostei deste ensaio...emocionou-me...


Doce beijo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça,
eu te escolhi para receber o Prêmio Roxie. está postado no Tristão. vc só tem que fazer umas coisinhas.
Beijos,

Nilson Barcelli disse...

Até que alguém tenha a chave para reabrir esse baú...
Acrescentaria eu...
Porque a vida fechada num baú nem respira...
Bom resto de semana,
Beijo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça:
Vá buscar sua rosa no Galeria, pois hoje faz 1 ano que abri meu primeiro Blog e já acumulei mais de 26.000 visitas.
Um beijo,
Renata

Paola disse...

...mas é com uma mão cheia que me admiro contigo... E é [pois é!!]nesses instantes que engolimos a emoção...

Beijo abraçado

f@ disse...

Olá Graça,

Aberto o baú do coração e declamou com esperança… a avaliar pelo que vejo e senti ao ler-te…
Quantas vezes vestimos os sentimentos de cor quando estão de luto ou os enlutamos quando nem os entendemos…
E quanto mais força menos poder…
“Ela” fecha o baú dos sentimentos mas decerto abre o coração….

Sublime, como sempre o teu ensaio…

Beijinho gigante

ângela marques disse...

BOM DIA MUNDIAL DO TEATRO!

Beijo

Paulo disse...

Bom fim-de-semana, querida Graça... e vê lá as notas que dás aos teus 'lindinhos'.


Beijo

PJB

Pedro S. Martins disse...

eu nem consigo sentir lucidamente os sentimentos, quanto mais tecer-lhes comentários.

Brancamar disse...

Olá Graça,

Estes teus ensaios sempre me têm feito aflorar uma lágrima de emoção...não tenho palavras para comentar, porque como dizes não se comentam sentimentos...
Quem fecha assim o baú é um sofredor no duro caminho onde se movimenta e os sentimentos que para uns são tão doces e fáceis e uma fonte inesgotável de alegria, para outros são uma conquista árdua nos dias da existência.
Talvez a cada conquista o sabor seja mais intenso, assim lhes desejo.
Beijos para ti.
Branca

isabel mendes ferreira disse...

um absoluto INTERVALO lírico.



.



beijo Graça.

A Magia da Noite disse...

abrir os sentimentos, deixá-los fluir, é poder receber o prazer em todas as suas dimensões.