Ensaio pela procura...

(foto de Luís)


Quando entrou, pela primeira vez, na minha aula, trazia, no olhar acanhado, todas as histórias que ouvira a meu respeito. Talvez, por isso, nem tenha olhado para mim. Sentou-se na última fila e, desde logo, mostrou um gosto imenso por aprender. Era um miúdo tímido, que nunca lera um livro por iniciativa própria, que tratava as palavras escritas com o desleixo de quem não lhe reconhece qualquer valor. Queria ser cientista e, na sua inocência dos treze anos, não compreendia, ainda, a necessidade de uma aula de Língua Portuguesa, que o roubava ao Clube da Ciência, onde o seu quase pronto robot o aguardava.

Desaparecia na cadeira, quando solicitado a uma participação oral. Tinha um discurso atabalhoado, numa gaguez que não conseguia controlar. Cedo percebeu o martírio de cada aula que teria comigo. Na primeira vez que teve de fazer uma exposição oral, libertou as encabuladas lágrimas, quase implorando que eu o mandasse sentar. Fingi que não vi. E, durante os dez minutos, que se lhe devem ter afigurado dez horas, lá foi falando para essa plateia chamada turma, molhando cada palavra num sal de raiva. Quando terminou, comentei seriamente o seu momento de expressão oral, apontei os aspectos negativos e salientei os positivos. Sequei cada lágrima num dizer formal, como quem fala com um adulto.

O tempo foi passando... o meu lindinho foi libertando, a cada lição, sem receio, as suas palavras. Quando se aproximou o tempo de uma segunda exposição, pediu-me, num fim de aula, com os seus modos correctos e meigos, se eu não me importava de não olhar para ele durante a próxima exposição oral. "Não leve a mal, Professora, mas os seus olhos intimidam!". "Com certeza.", respondi... e, no dia seguinte, segurei-lhe esse olhar nervoso, de início ao fim da sua actuação.

Bem, passado um ano e meio, no dia de hoje, o meu aluno deu uma aula. Orgulhoso, a cada palavra verbalizada com segurança, durante quarenta e cinco minutos, numa aula de Formação Cívica, apresentou o seu trabalho de nome sugestivo "O pensamento de cada um"! O seu discurso começou sério, encarando nos olhos cada um dos elementos do seu público, com uma pergunta que me soou a deixa dramática: "O que fazemos aqui?" Seguida da resposta: "Andamos, somente, à nossa procura!"

Não me apetece reproduzir nada mais daquela aula... guardá-la-ei, por todas as razões, no meu camarim-memória, onde me visto para este palco.

No final, fiz o meu elogioso comentário... e recebi a dádiva da resposta num sorriso espontâneo : "O modelo também não é mau..."

26 comentários:

Paola disse...

Depois de te ler, ouvi-te... Mais um momento de luz nesta quase escuridão...E como dou razão ao teu memino, "o modelo também não é mau..."!

Beijo abraçado.

ângela marques disse...

Eles têm sempre razão. - digo eu, apesar de ser criticada por isso.

Paulo disse...

O modelo não é mau, não. O modelo és tu, que não desistes... apesar de tanto quererem minar o teu e o meu "palco".

Bjos, querida Graça

PJB

o que me vier à real gana disse...

Eh pá, GMV, nem eu tenho palavras... para o teu brilhante pequeno filósofo; para o modelo!
Este é mais um genial ensaio/poema com que brindas os teus leitores.

Já agora, embora não seja do teu grupo, tb vendo aulas... - Digo vendo por não ser hipócrita e, de vez em quando, me apetecer recorrer ao preciosismo das coisas . Gostaria de participar em conselhos de turma contigo... até de assistir a aulas tuas - não como avaliador, que nem estatuto ainda tenho para isso eheheh! -, sério, podes crer!

Bj

ParadoXos disse...

pois, és tu que ensinas a vida e que educas os caminhos e as leituras várias de cada acontecer... eles sabem!
amanha serão eles a dar lições!


teu beijo muito muito nosso!
amiga querida, saudades de quebrar o silêncio!

:-)

Luana Ferraz disse...

No fim ela nunca cessa, é constante, é veroz...

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Você é realmente uma boa professora. Sempre tive pavor de exposição oral, aqui a chamamos de seminário. Na Faculdade, negociava com o professor e quando ele me dizia não, eu faltava, fingia estar doente e mandava o seminário datilografado por um colega. O primeiro que tive que fazer mesmo foi um martírio, pois eu tinha tanto medo, mas tanto medo que não compreendia o tema. Foi um seminário com uma amiga. Escrevi a minha parte, submeti-a ao professor, que notou o meu pavor, e na hora eu ia lendo e ele respondia as pergunta. Depois disso, nunca mais tive medo. Só os bons professores fazem os seus alunos perderem o medo, ou seja, não deixando-o de o enfrentar.
Um beijo, Graça,
Renata

Isabel disse...

"só um excelente ser humano pode ser um excelente mestre", digo eu....sem saber....

apenas.



e "andamos" Graça....pelo palco dos dias.



beijo ....de boa noite.


.piano.

Anónimo disse...

E eu encontrei-te - numa procura feliz.

bj

Jorge Vieira Cardoso disse...

o valor que se dá às pessoas poderá ser a maior gratificação recebida...

também me acrescento lendo-te!

beijinho terno...

Jorge Vieira Cardoso disse...

o valor que se dá às pessoas poderá ser a maior gratificação recebida...

também me acrescento lendo-te!

beijinho terno...

Paulo - Intemporal disse...

"O pensamento de cada um"

e no que me cumpre, enquanto ser deambulante entre o tempo sem tempo, a gratidão que te deixo aos pés tão somente ou apenas por seres quem és, é íssima[mente] insípida perante a pessoa que demonstras ser [...]

comovido, beijo-TE [!]

e abraço o teu lindinho, sim [.]

um beijo de boa tarde, Graça.

Betânia Lisboa disse...

Oi tudo bem?
quero lhe fazer um convite.

"Blogar é construir pontes de amizade e conhecimento no espaço.
Você fez sua ponte hoje?"
Vamos construir pontes juntas?

Feliz dia do blogueiro.

Adoraria receber sua visita no meu Blog.

Nilson Barcelli disse...

Quando o professor tem uma estratégia, um plano para o desenvolvimento individual, estamos perante o professor cuja avaliação é o "excelente".
Infelizmente, só 20 ou 30% dos professores serão como tu.
Mas... felizes dos alunos (e não só) que "tropeçam" em modelos com este...
Bom fim de semana,
Beijo.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça:
No último dos 3 dias que fico em casa, os outros 4 são dedicados ao meu bem-estar físico fora de casa, convido você a apreciar e deixar a sua opinião no meu post no Galeria.
Um abraço,
Renata
PS: Depois, dê um pulo no FEMININA, vc vai gostar!

São disse...

É sempre gratificante ouvir ou ler uma pessoa que ama a sua profissão....
Felicidades.

E bom fim de semana.

preto [e] branco disse...

Gostei, gostei das muitas palavras escritas neste teu post. Adorei a descrição feita ao teu menino, a sua evolução e o prazer que acabou por cativar quem não tinha boa relação com a escrita e a leitura. Senti a mensagem desse teu menino e, finalmente, dou-te os parabéns pelo resultado obtido e que eleva a tua condição de professora. Ganhas, no fim...Um Sorriso.

beijinho

A.S. disse...

Saber interpretar os sinais, valorizar as coisas aparentemente simples, e saber ouvir, são condições essenciais para quem como tu tem a nobre função de educar!
Felizes aqueles com quem partilhas o conhecimento!


Um abraço...

Paulo disse...

Quando não deixas comentar, deves ter as tuas razões. Mas eu precisava de te dizer que gostava tanto que os meus alunos escrevesses como esse teu "lindinho". Poema lindo.

Bom dia da Poesia :), querida Graça

Bjos

PJB

Jorge Vieira Cardoso disse...

Dia Mundial Da Poesia

“Dúvidas de Fronteira”

Quem sou aqui neste palco onde se debatem palavras?
Quem sou nesta cidade onde a temperatura oscila vocabulários de rosas?
Quem sou eu nesta primavera contrafeita de vontades eufóricas?
Serei o poeta que nas dunas silencia o sol à espera da lua?!
Ou serei tão-somente o enxame de mil abelhas domesticando as frases?!

beijo terno...

JotaSP disse...

E a tua atenção para comigo emociona-me TANTO__________________

Obrigado. Obrigado!

Um beijinho carregado de ternura «««

Bill Stein Husenbar disse...

Que neste Dia Mundial da Poesia os seus versos floresçam e brotem paa o mundo com uma mensagem de esperança e felicidade.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

ParadoXos disse...

O poema lá de cima é, de facto, muito bonito!! só no fim percebi... cheguei mesmo a pensar que fosse da tua autoria, de tão bom que é!

a POESIA não tem idade!!
não tem mesmo.


bom dia amiga!
beijos em flor!

as nossas!

isabel mendes ferreira disse...

o.bri.ga.da.



Graça.




bom dia. com nevoeiro....bom!

beijooooooooo.

Brancamar disse...

Sempre me comovo ao ler os teus textos sobre os teus lindinhos. Tens uma profissão digna de deuses e sabes honrá-la. Comovem-me as transformações positivas que um professor pode operar num aluno, comove-me tudo o que valorize e engrandeça o ser humano. Comove-me lembrar-me dos meus professores pelos quais tenho o máximo respeito e admiração. Tive felizmente um bom punhado deles como tu, fui uma priveligiada, tanto que ainda sou amiga de alguns. Tanto que há uns dez anos andei a investigar onde tinha ido parar uma professora que tive aos 13 e que em apenas um ano ou dois me marcou para sempre. Descobri-a em Évora e não paramos de nos correspondermos.Tenho a certeza que já não me conhece fisicamenta, mas anseio por me ir encontrar com ela. Já o devia ter feito, se a vida às vezes não fosse tão condicionante (desculpas?).Tantas coisas que poderia contar destas pessoas que tiveram um papel importante de despertar consciências num tempo tão difícil de o fazer. Não sei se já te disse, mas a fotografia que encima o meu blog foi tirada pelo meu professor de português no período correspondente aos actuais 7º,8º e 9º anos, foi muito importante numa missão igual à que tiveste com esse teu aluno. Ao contrário dele eu gostava de letras, mas o teu colega ajudou bastante no meu esforço para vencer a timidez.
Deixo-te um beijinho e venho impressionada do post anterior onde não deixaste espaço para comentar. Pressinti que era uma homenagem importante para ti. Deixo a minha reverência pela beleza das palavras e do poente...
Beijos

Paulo - Intemporal disse...

e re.volto.

hoje só para ouvir a música.

de olhos fechados.

e sentir-TE.

sinto-me feliz e tão bem aqui.

íssimo beijo meu

________________________________ .

e fico.