Ensaio sobre felicitações...

Num passado algo distante, num longínquo dia sete, como o de hoje, numa tarde fria de Novembro, alguém me ofereceu um livrinho... Serve o diminutivo para expressar o meu sentimento primeiro pelo dito. Sou pelos livros! Bons livros! Livros que suportem leituras infinitas! Livros resistentes a tantas viagens de companhia! Livros concebidos pela Literatura, se é que me faço entender.

Ora bem, para além do "inho", o objecto de capa azul veio embrulhado na frase, também ela oferecida: Tem tudo a ver contigo! Fiquei desiludida por alguém considerar que a minha pessoa se reflectia num livrinho de capa azul. Mais tarde, compreendi as palavras. Afinal, o título ocupava quase toda a diminuta capa: Scorpio!

Nunca liguei muito a astrologia, não no sentido de vasculhar páginas de periódicos, na demanda irracional de saber se o meu dia iria correr bem... se o metal vil encheria os meus bolsos... se o homem da minha vida me atraiçoaria sem pejo... se no trabalho teria de entregar a minha ficha de objectivos individuais...

Nasci em Novembro. Sou Escorpião. E o livrinho continua a ser a minha cara. Aliás, numa atitude perfeitamente contrária à razão, considero que foi mesmo escrito para mim! Clarifico...

Em frases feitas, sem grandes ambições sintácticas, nem ornatos literários, lá vão surgindo as características de quem nasceu sob a influência desse signo fixo, (porque não mutável): adoram enfrentar dificuldades (acrescentaria que, às vezes, nem tenho hipótese de escolher!); têm grande capacidade de recuperação (eu diria que estou em constante e renovada recuperação!); são atreitos a paixões violentas (ou, no meu caso, só paixões... bem, pronto, paixões impetuosas!); interessam-se pelo profundo e pelo oculto (sim, sim, adoro e também por Pessoa!); são por vezes possessivos (bem, sem comentários!); são dotados de um sentido crítico muito desenvolvido (como adoro esse meu sentido quase obrigatório!); possuem uma vontade indómita (nem digo de quê!); impetuosos e magnetizantes (assumindo todas as consequências que daí advêm!)... e mais meia dúzia de aspectos de quem, como eu, gosta de aplicar uma boa ferroada... metafórica umas vezes, hiperbólica nas outras, e tantas ainda só perifrástica!

Como passar, então, indiferente por este espelho de mim? Mas... e quanto ao resto? Tudo aquilo que verdadeiramente sou, e não existe registado em livrinhos de série azul? Sou... sendo... assim...

Quanto ao Scorpio... prefiro a constelação... e a história mitológica que lhe está associada.

Nasci em Novembro, num dia sete, como hoje, sem sequer imaginar que a minha vida seria feliz... e felizmente repleta de livros... sem "inho"!

10 comentários:

Paola disse...

E para ti, minha amiga e confidente de tantos inhos, tadinhos, que há para aí, envio mais um... não um livrinho. Até sei que nunca te realizarás num só e muito menos com dimunitivo atrás. Antes um beijinhos. Muitos beijinhos. Um abraço, portanto!

Parabéns! Parabéns!

Paulo disse...

Não fui o primeiro! Para ti um beijo grande. Parabéns.
PJB

© efeneto disse...

Quando as palavras
secam na garganta
no momento exacto de as dizer
parecem rochas encrostadas na terra
impossíveis de as moldar.
Fico na impotente ansiedade
como náufrago, sem gritar.
Sei como são cruéis
e tiranas as palavras
que se recusam a pronunciar-se
naquele exacto momento
em que mais são precisas.
Quando me acontece contigo
substituo-as pelo olhar
e as mãos dizem o resto.

Voltei. O Grito do Poeta calou-se. Pode ser que ressuscite. Até lá convido a apanharem umas Migalhas de Poesia. Fica a promessa que voltarei para vos ler e apreciar com a atenção que merecem. Afinal os amigos souberam esperar. Até já…

Emilia disse...

Registados os ditos "individuais", vim ler-te. Porque gosto e porque hoje particularmente és "scorpio" mas muito especial... muito mais do que inventaria esse "inho de capa azul".
Há coisas que a ciência ainda não explica mas essa associação tão generalista "tempo de nascer/ser" explica-se por si só.
Uma banalidade: "Parabéns por seres quem és!"
Beijo

Emília

Paradoxos disse...

e ler-te é também esta coisa de vício que se cola aos olhos.

sabias?


pois é - fiquei!

beijão!

sagher disse...

uma pérola este texto,

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça:
O livro foi-lhe útil, a mim já me ocorreu de ganhar um "livrinho" desses que, a princípio, rejeitei, mas a curiosidade...
Agora, falar do livro é útil para que saibamos que hj é o seu aniversário.
Parabéns, minha querida, e continue sendo essa pessoa maravilhosa que é.
Já quanto a mim, para espantar o laivo de tristeza, fiz postagem hj, sábado, sobre um filme bem atual e gostaria que você fosse ao meu Blog e me desse a sua opinião.
Um abraço,
Renata

Anónimo disse...

Sem comentar o teu texto, apenas porque te quero desejar o melhor para o dia de hoje oferecendo-te um beij"inho" cheio de car"inho" e os meus parabéns por mais um aniversário. Que tenhas um dia lindo.

...F

meus instantes e momentos disse...

Belissimo texto, maravilhosamente escrito.
Um prazer conhecer teu blog.
Um prazer te ler.
Tenha um feliz domingo.
Maurizio

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Creio que já escrevi qualquer coisa sobre a constelação do Escorpião e respectiva mitologia clássica, no meu blog de Astronomia.

Quanto a mais estrofes de "Viagem através da Luz", aparecerão um dia destes.
Mas, sendo um poema muito longo, com incursões por muitas disciplinas, não é fácil escolher duas ou três estrofes que sejam um espelho do que o poema é.

Tenho de pensar bem.

Bom resto de Domingo.

Bjs