Uma furtiva lágrima...



Na arte do espectáculo, admiro particularmente esses dramas encenados ao sabor dos sons de uma pauta. Ópera. Libretos repletos de histórias trágicas, ou nem por isso.

Quando assisto a uma ópera, no meio de um silêncio de sala cheia, incido a atenção no poder da palavra. As palavras ganham contornos indescritíveis ao saírem projectadas pela voz de um tenor, ou serpenteadas na articulação de uma soprano. As palavras preenchem-se de sentimento, espalham sentidos, impõem respeito.

Não consigo explicar com exactidão o que perpassa no meu pensamento, enquanto aquele canto invade a minha alma. Provavelmente, nada, mas é um nada que sacia, que alimenta, que me ocupa a mente.

O poder da música assim cantada, faz com que nem tenha importância a língua utilizada. Parece que, sentada naquela cadeira, a pessoa se torna poliglota do sentir.

Ontem, fui à ópera. O Elixir d'Amor. Diz-se comédia em dois actos. Na verdade, até podia ser a ópera mais cómica do mundo. Sem qualquer explicação, uma furtiva lágrima soltou-se vagarosamente pela minha face. O tenor cantava essa mesma ária "Uma furtiva lágrima" (no seu olhar nasceu)... e ali no palco senti a força de tão simples palavras.

Gosto de ópera, enfim!

7 comentários:

Carlo Rochas disse...

Uma linda e proveitosa semana para si, indispensável desfrutar e retirar do que bom temos em qualquer dos momentos da vida. Beijo sereno.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Não há quem não chore em "Uma furtiva lágrima", Graça, por mais cômica que o Elixir do Amor seja.Tenho um DVD com a Nebtreko e o Villazón, em que ele, de tão aplaudido, repete a ária. O outro Dvd não é tão bom, porque é uma gravação do Metropolitan de Nova Iorque e eu tenho certo preconceito. É com Pavarotti, magro, e a Battle, que tem a voz pequena. Mas ele também repete a ária. Amo ópera também, assim como você. Vcs não têm legendas acima do palco? Aqui sempre põem legendas, mas nunca as leio, pois geralmente conheço a ópera e a língua.
Vá visitar a minha nova casa hoje. Será muito bem recebida.
Um beijo,
Renata

Paulo disse...

O que "perpassa" na tua mente é essa tua sensibilidade que tanto teimas em esconder.
Boa semana, queridíssima.
Bjos
PJB

Paola disse...

As emoções cantam-se nas línguas todas que o mundo tem... e a lágrima também.

Bjos

O Profeta disse...

...E as palavras às vezes têm muita força...


Doce beijo

Nilson Barcelli disse...

Nem todos têm a capacidade de chorar nesse contexto.
Ainda bem que tu a tens.
Nunca fui à ópera, apenas assisti 2 ou 3 na televisão. E gostei. sei que não é a mesma coisa que ao vivo, mas a ópera é uma arte espectacular que todos devíamos ter acesso.
Beijinhos.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Graça, querida;
Hoje estou aqui para dizer-lhe que fiz nova postagem sobre um filme de dança. Apareça, querida.
Um beijo,
Renata