Ensaio feliz

Hoje escrevo para alguém em especial. Não pela certeza de que serei lida, mas porque, por vezes, a distância não nos permite dizer o que nos vai na alma.
É feliz o meu ensaio. Porque relembro um vestido preto, caminhando cheio de vida, por uma sala absorta pelas palavras. Porque lembro um caminhar cheio de personalidade teatral, na beleza de uma voz meiga. Porque sinto a força de um dizer nas palavras de um poeta.
É feliz o meu ensaio. Porque antevejo novos caminhares, novas salas cheias e silenciosas pela presença incomparável de ti.
É feliz o meu ensaio, porque nesta peça que tens representado ultimamente, enquanto actriz principal de um papel que ninguém deseja, tens sido magnífica. Peça difícil, esta que te deram. Que eu nunca te daria, enquanto tua encenadora, não porque não conheça a tua força, não porque não saiba que o final seria de aplaudir de pé, mas porque representar neste palco da vida traz lágrimas. Não gosto de te ver chorar.
É feliz o meu ensaio, porque te espero deslumbrante na minha próxima peça. Que choremos de tanto rir. Que choremos de alegria de vitória. Que choremos porque venceste.
É feliz o meu ensaio, porque estás no meu coração.

5 comentários:

Paola disse...

"Que choremos de alegria de vitória. Que choremos porque venceste."

Deixam-me chorar convosco,deixam?

Bjos

ADE disse...

Magníficas as palavras do coração. Também quero partilhar o choro da alegria, o choro da vitória.

Ana disse...

Em tudo o que fazemos devemos procurar a verdade e, assim, dar sempre o nosso melhor.
Nos palcos, o medo de falhar e comprometer todos os companheiros dá-me medo e faz-me sofrer, apesar de encarar toda esta brincadeira de forma séria, dedicada e empenhada. Desiludir quem aposta em nós é uma grande dor para mim. No fim de cada representação, a alegria geral e os aplausos de quem assiste revigoram-me e tornam-me vencedora do medo.
Na vida e nos papéis que se têm que desempenhar é igual. Os maiores medos devem ser, sempre, enfrentados de forma séria, com a maior dedicação e empenho. Quem assiste dá-nos uma arma de confronto e os aplausos revigoram-nos: não podemos desiludir, já que confiaram em nós. No fim de cada medo celebra-se a amizade e o amor, porque a luta não foi ganha sozinha.

célia disse...

Para chorar...de alegria, como para rir...mesmo das tristezas, contam sempre comigo porque sou...
amiga...sempre e pra sempre.
Afinal sou a vossa fã nº 1 a que estará sempre na primeira fila, no teatro e na vida
Adoro-vos!

Emília disse...

A verdade é que a amizade e o apoio vencem barreiras e sobrepõem-se à impotência dos factos. Foi feliz o ensaio e mgnífica a actriz. Com um coração do tamanho do mundo a sustentar um querer inabalável, só pode ser soberba a vitória e eu também quero aplaudir em pé, até às lágrimas.

Que bom ter-vos. Beijo
Emília